“Tínhamos razão em dizer, em março, que a Rússia era responsável”, acusou esta quarta-feira Theresa May, primeira-ministra britânica, no Parlamento, referindo-se ao caso Skripal, e logo depois de dizer que os suspeitos são, de facto, “espiões russos”. Horas antes, a polícia britânica revelou os nomes dos suspeitos do ataque com novichok em Salisbury que, em março, levou a que o ex-espião russo Serguei Skripal e a filha Yulia fossem hospitalizados. Mais tarde, no mês de julho, uma mulher morreu e um homem foi hospitalizado depois de terem sido expostos ao mesmo agente nervoso.

Depois das declarações de May, o Reino Unido pediu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, depois de terem sido emitidos mandados de captura para os dois agentes dos serviços secretos militares russos acusados do ataque com gás novitchok. A reunião deverá realizar-se na quinta-feira e permitirá a Londres pôr os parceiros do Conselho de Segurança a par dos últimos desenvolvimentos, segundo a agência Lusa.

Theresa May não poupou a Rússia nas acusações. Não só garantiu que os dois homens são espiões como acrescentou que o ataque foi perpetrado com luz verde de uma alta patente do Estado russo. “O governo concluiu que os dois indivíduos nomeados pela polícia pertencem aos serviços de inteligência militar russa, também conhecidos como Gru”, sublinhou a primeira-ministra britânica. Assim, acredita que estas descobertas reforçam a legitimidade para retaliar contra a Rússia.

De acordo com as autoridades do Reino Unido, os suspeitos viajavam com passaportes russos autênticos com os nomes de Alexander Petrov e Ruslan Boshirov. Na notícia avançada pelo The Guardian, a polícia diz existirem provas suficientes para que os homens sejam acusados. Os dois suspeitos terão chegado ao aeroporto Gatwick a 2 de Março e ficaram instalados no hotel City Stay, em Londres, tendo viajado para Salisbury dois dias depois.

No passado mês de agosto, e de acordo com o The Times, os detetives da Scotland Yard diziam estar seguros de terem identificado os responsáveis pelo ataque, apesar de não terem revelado qualquer nome.

“O Gru tem uma operação altamente disciplinada, com uma cadeia de comando bem estabelecida”, acrescentou May , explicando assim que esta não terá sido uma operação rebelde. “É quase certo que  também foi aprovado fora da GRU, ou seja, por uma alta patente do Estado russo.”

As autoridades indicaram ainda que não vão pedir a extradição dos dois suspeitos a Moscovo porque a constituição russa não permite a extradição de seus próprios nacionais e porque recusou pedidos de extradição em situações anteriores.

No entanto, a Unidade de Polícia de Contra-Terrorismo, responsável pela investigação ao ataque, informou em comunicado que as autoridades obtiveram “um mandado de detenção europeu, o que significa que, se um dos homens viajar para um país onde o mandado de detenção europeu for válido, ele será preso e será extraditado para responder a essas acusações, para as quais não há prazo de prescrição”.

Quem é o agente duplo Sergei Skripal e porque foi envenenado?

Skripal e a sua filha foram hospitalizados várias semanas e acabaram por ter alta. Contudo, em julho, uma mulher de 44 anos, Dawn Sturgess, morreu depois de tocar, perto de Salisbury, num frasco de perfume contendo novichok, enquanto o seu companheiro, Charlie Rowley, também envenenado com a mesma substância, esteve vários dias internado, mas sobreviveu.

O envenenamento dos Skripal causou uma crise diplomática entre Londres e Moscovo, pois o governo britânico decidiu expulsar vários diplomatas russos, medida seguida pela Rússia, que exigiu a saída de diplomatas britânicos do país. Além disso, vários países ocidentais expressaram solidariedade com o Reino Unido e tomaram medidas semelhantes.

O Reino Unido acusou a Rússia do envenenamento dos Skripal, depois de uma investigação que identificou o novichok como uma substância de fabrico militar russo. No entanto, o Kremlin tem negado qualquer responsabilidade pelo ataque.

Morreu a mulher britânica que foi exposta ao agente nervoso novichok, o mesmo que envenenou os Skripal

*Atualizado às 17h30 com informação sobre reunião de emergência