Itália

Cerca de 300 moedas de ouro romanas encontradas em antigo teatro italiano

100

As moedas de ouro estavam guardadas num jarro de barro, enterrado no antigo Teatro Cressoni, no norte de Milão. O estado de conservação dos objetos descobertos surpreendeu os arqueólogos.

As moedas contêm gravuras dos imperadores Honório, Valentiniano III, Leão I, António e Libério Severo.

Ministério da Cultura Italiano/Twitter

Cerca de 300 moedas de ouro que remontam à era imperial romana foram encontradas no mesmo local do antigo Teatro Cressoni, no norte de Milão, em Itália. A descoberta foi feita na semana passada por um conjunto de trabalhadores que estava a construir um complexo de apartamentos no antigo teatro.

As moedas foram encontradas dentro de um pote de barro e os arqueólogos que estão atualmente a analisar o tesouro dizem que esta descoberta foi diferente: “A pessoa que enterrou o jarro naquele local enterrou-o de tal forma que, em caso de perigo, ele conseguiria vir buscá-lo”, explicou Maria Grazia Facchinetti, uma especialista em moedas raras, citada pela CNN, numa conferência de imprensa.

Segundo a investigadora, “as moedas foram empilhadas em rolos semelhantes aos que hoje são vistos nos bancos” e, por isso, “tudo leva a crer que o proprietário não era uma pessoa, mas sim um banco público ou um depósito”. As moedas contêm gravuras dos imperadores Honório, Valentiniano III, Leão I, António e Libério Severo. No jarro, estava também guardada uma barra de ouro.

Ainda não sabemos ao detalhe o significado histórico e cultural desta descoberta”, disse o ministro da Cultura de Itália, Alberto Bonisoli, num comunicado enviado à imprensa. “Esta área está a provar ser um verdadeiro tesouro para a nossa arqueologia. Uma descoberta que me enche de orgulho”, acrescentou.

Segundo o Ministério do Património Cultural e Atividades, as moedas foram transferidas para o laboratório de restauração do ministério, em Milão, onde os arqueólogos e restauradores estão a examiná-la, não se sabendo ainda o valor certo dos objetos descobertos.

Luca Rinald, superintendente da arqueologia local, disse ao The Times que as moedas estão num bom estado de conservação, algo que é “diferente de qualquer outra coisa já encontrada”. “Às vezes as moedas que são encontradas estão coladas, mas estas estão todas separadas. Foi como abrir uma carteira”, revela.

(artigo editado às 15h25 com a correção relativamente à transferência para o laboratório de restauração)

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
Crónica

As cidades capturadas /premium

Maria João Avillez
226

Um dia Veneza será afogada pelos turistas, Barcelona fechará as portas, o Monte de São Michel soçobrará, Roma sucumbirá. E Florença talvez já tenha colapsado sem que ainda não se tenha dado por isso.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)