BMW

“Tesla Model 3 está a pressionar o mercado”, diz a BMW

A BMW assumiu que o incremento de produção do Model 3 da Tesla está a criar pressão no mercado dos automóveis de luxo. E isto quando o Model 3 está ainda a 50% do limite máximo de produção.

Numa entrevista à Bloomberg, o CEO da BMW nos EUA, Bernhard Kuhnt, admitiu que o Model 3 da Tesla está a revelar-se uma dor de cabeça para o segmento em que a sua marca se movimenta, em companhia da Audi e Mercedes. Desde que começou a incrementar a produção, que já vai nas 5.000 unidades por semana, o Model 3, apesar de ser um modelo 100% eléctrico e, logo, sem versões a gasolina ou diesel, “começou a pressionar o segmento do mercado dos carros de luxo”, de acordo com Kuhnt.

É claro que o CEO da marca alemã do outro lado do Atlântico aproveitou para chamar a atenção para os ainda maiores prejuízos dos seus adversários tradicionais, pois se a BMW caiu ligeiramente (de 25.900 contra 25.600 veículos comercializados em Setembro), embora continue abaixo da Mercedes, esta sofreu mais (de 29.000 para 26.200), estando ambas acima da Lexus (caiu de 26.200 para 24.600).

Estes comentários de Kunht tiveram lugar durante o Salão de Paris, onde a BMW revelou o seu novo Série 3, modelo que continua sem versão eléctrica, mas que certamente poderá ter um papel preponderante nas vendas da marca germânica. Mas isso não invalida que a Tesla venda hoje mais veículos do que a BMW no mercado americano, onde o construtor bávaro também tem uma fábrica, acontecendo o mesmo em relação à Mercedes e à Lexus.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)