António Costa

Primeiro-ministro espera concretizar certificação de dívidas de Angola a empresas portuguesas

Para o primeiro-ministro, a visita de João Lourenço a Portugal "será uma oportunidade" para se concretizarem processos como a certificação de dívidas — trabalho já iniciado em setembro, em Angola.

João Lourenço fará a sua primeira visita oficial a Portugal como Presidente de Angola nos dias 23 e 24 de novembro

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

O primeiro-ministro considerou esta quinta-feira que a visita a Portugal do Presidente de Angola, João Lourenço, é “um momento alto” nas relações luso-angolanas e adiantou que espera concretizar o processo de certificação das dívidas a empresas portuguesas. António Costa assumiu esta posição em declarações aos jornalistas em Monsanto, Lisboa, antes de presidir à cerimónia de entrega do Prémio Bartolomeu de Gusmão para distinguir inovação científica.

Para o primeiro-ministro, a visita de Estado que o Presidente de Angola efetuará a Portugal, entre 22 e 24 deste mês, “será uma oportunidade” para se concretizarem vários processos, designadamente “o trabalho já iniciado em setembro, em Angola, em matéria de certificação de dívidas”.

Questionado sobre se o problema das dívidas do Estado angolano a empresas portuguesas está resolvido, António Costa referiu que “está em curso”. “O que está a ser feito era fundamental para se restabelecer a confiança, sem a qual o investimento das empresas portuguesas poderia ser afetado – e era importante que não fosse, porque a relação económica entre os dois países é muito importante”, sustentou António Costa.

O primeiro-ministro salientou, em seguida, que é importante “aproveitar este momento de recuperação económica em Portugal e em Angola”. “Este é mesmo o melhor momento para crescermos”, sustentou. António Costa afirmou, depois, que a visita do chefe de Estado angolano a Portugal “é seguramente um momento alto”. “Na sequência da visita que fiz a Angola em setembro passado, a presença do Presidente João Lourenço em Portugal completa este ciclo de relançamento das nossas relações”.

Segundo o primeiro-ministro português, a visita de Estado de João Lourenço “terá momentos importantes, como no seminário económico ou na intervenção que fará na Assembleia da República”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Pode alguém pedir que se aja com escrúpulos?

Rita Fontoura
544

A falta de escrúpulos está a destruir o nosso país. Fomos enganados e estamos a ser enganados. É algo que não salta à vista e por isso engana, o que não espanta já que quem nos governa teve bom mestre

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)