A moda das trotinetes elétricas chegou à capital francesa e tem causado o caos na cidade. A grande movimentação tem incomodado os pedestres e, para solucionar o problema, o governo francês apresentou um decreto-lei que proíbe as trotinetes de andarem pelos passeios, noticia a BBC esta terça-feira.

As centenas de trotinetes que circulam por Paris estão a deixar os parisienses à beira de um ataque de nervos. Relatos à estação televisiva britânica afirmam que os mais velhos são os mais descontentes com este meio de transporte na cidade: para muitos, o transporte é perigoso e pode magoar dado que “anda muito rápido” (a mais de 20 quilómetros por hora).

Kenneth Schlenker, presidente executivo da Bird em França, a companhia responsável pela comercialização das trotinetes elétricas, defende que é “preciso encontrar um equilíbrio” entre os cinco milhões de carros existentes em Paris e nos subúrbios” e as “centenas de trotinetes” existentes. Para Schlenker a solução passa por “inventar novas formas e criar novas regras para facilitar o uso do transporte ecológico”.

Os defensores deste meio de transporte consideram que a solução passa também pela criação de mais ciclovias ou vias destinadas a este transporte.

No ano passado houve cerca de 277 acidentes registados com trotinetes ou roller blades (uma espécie de skate elétrico). Em Portugal, a assembleia municipal de Lisboa aprovou na semana passada uma recomendação apresentada pelo CDS-PP para a criação de regras e boas práticas para as trotinetes elétricas na cidade.

Lisboa vai ter regras para circulação e estacionamento das trotinetes elétricas