A atividade económica na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) como um todo e em Portugal deverá continuar a desacelerar, segundo indicadores da organização esta segunda-feira divulgados.

Os Indicadores Compósitos Avançados da OCDE, que antecipam de seis a nove meses pontos de viragem na atividade económica, também continuam a apontar para uma desaceleração em Portugal, na zona euro como um todo incluindo Alemanha, França e Itália, no Reino Unido e no Canadá.

O indicador compósito avançado para Portugal voltou a cair em outubro, pelo 12.º mês consecutivo, ao situar-se em 99,39 pontos, menos 17 centésimas do que no mês anterior e abaixo do nível 100 que marca a média de longo prazo. Também abaixo do nível 100, o indicador para a zona euro, que está a cair há 11 meses, desceu em outubro para 99,49 pontos, menos 15 centésimas.

Sinais similares de desaceleração também estão a surgir nos Estados Unidos, refere a OCDE, adiantando que no Japão os Indicadores Compósitos Avançados continuam a apontar para a estabilidade.

Entre as maiores economias emergentes, os Indicadores continuam a apontar para um crescimento estável para o setor industrial da China, com sinais similares a emergirem agora na Índia. No Brasil e na Rússia, os Indicadores da OCDE continuam a antecipar desaceleração do crescimento.