Este é o modelo mais antecipado na história da Volkswagen. Não por ser o mais potente, nem rápido e, muito menos, luxuoso. E nem por ser eléctrico, uma vez que o fabricante alemão já tem no mercado o e-up! e o e-Golf, ambos com motor eléctrico alimentado por bateria. A importância do Neo, o primeiro modelo da nova família I.D. – que vai servir à Volkswagen e a todas as outras marcas do grupo, no que respeita à plataforma, motores e baterias –, é ser isso mesmo: o primeiro a aparecer, fruto do maior investimento de sempre do grupo germânico.

O I.D. Neo já tinha sido apanhado em testes na África do Sul, país escolhido para os ensaios em clima quente, com o norte da Suécia a acolher o modelo para as correspondentes provas no frio, o que nesta altura do ano e naquelas latitudes é algo que não falta. Inicialmente, a marca tinha apontado a apresentação do Neo para o final do ano, muito provavelmente a 12 de Setembro, no Salão de Frankfurt, com o objectivo de as primeiras unidades começarem a ser fabricadas ainda em 2019, para tudo estar em condições de as entregas arrancarem nos primeiros dias de 2020. Mas também já veio anunciar que encalhou em pequenos problemas, que poderão atrasar o arranque da produção entre três e seis meses, ainda que a apresentação em Frankfurt pareça estar garantida.

Para manter o foco no “seu” veículos eléctrico, agora que se fala no novo Leaf e-Plus, novo Zoe e o Model 3 da Tesla a chegar à Europa, a Volkswagen faz questão de “badalar” tanto quanto possível o estágio de evolução do Neo, provando que podem contar com ele para breve. E, para reforçar a mensagem, convidou o alemão Thomas Geiger para o conduzir, ainda camuflado por dentro e por fora.

Deixemos para Geiger as opiniões e concentremo-nos nos factos, que lhe foram fornecidos pelo construtor. O Neo vai ter um comprimento de 4,25 metros e uma distância entre eixos de 2,8 metros. Se o primeiro é idêntico ao do Golf (4,258 m), o segundo ultrapassa mesmo o Passat, que se fica pelos 2,791 m, como tal bem acima da distância entre eixos do Golf actual, que se limita a 2,62 m. Como a distância entre os eixos da frente e traseiro define o espaço em comprimento dentro do habitáculo, já ficamos a saber o que esperar.

Geiger diz ainda que o Neo vai ser disponibilizado com três níveis de bateria, capazes de lhe proporcionar autonomias de 330 a 550 km (com a VW a já nos ter confirmado 450 km para a autonomia intermédia), em linha com o que já afirmámos no Observador, com a versão que conduziu a usufruir de um motor eléctrico de 204 cv. A Volkswagen confidenciou ainda a Geiger que o modelo vai ser capaz de recarregar a uma potência de 125 kW, podendo ser conduzido apenas com o acelerador, caso se jogue com os diferentes níveis de regeneração, como aliás já acontece no e-Golf.