Numa suspensão convencional, ou seja, não pneumática, há essencialmente dois sistemas: um elemento elástico representado pela mola, que na prática suporta o peso do carro, e o amortecedor que controla o movimento da mola. Esta é uma função mais difícil do que se pode pensar, pois o esforço é enorme, especialmente em mau piso, o que provoca um aquecimento excessivo e, nos amortecedores mais baratos, degradação e perda de eficiência.

Além de nem todos entenderem na perfeição a função dos amortecedores, exigem por vezes que assumam a função da própria mola, tornando a suspensão mais dura, quando teoricamente não é essa a sua finalidade. Pelo menos sem que haja também uma alteração ao nível do elemento elástico.

Para termos presente o papel do amortecedor, bem como o esforço que tem de desempenhar para manter os pneus em contacto com a estrada e impedir que o carro salte de um lado para outro por acção descontrolada da mola, é bom ver este vídeo do Master Milo.

youtuber holandês pegou num Ford Focus e furou-lhe os amortecedores com um berbequim. Sem óleo, os amortecedores, que limitariam os movimentos das molas ao fazer passar esse óleo por uns orifícios calibrados (tão mais pequenos, quanto “duros” queremos que sejam), deixaram de realizar qualquer função. O resultado é o que se pode ver…