Futebol

Ainda há quatro mistérios por resolver no caso Emiliano Sala

290

O corpo do jogador foi encontrado, mas o do piloto Ibbotson continua desaparecido e ainda há muitas questões por resolver. Porque é que a busca pelos destroços parou? E porque é que Sala viajou?

EDDY LEMAISTRE/EPA

O corpo do futebolista Emiliano Sala foi recuperado dos escombros do avião que despenhou no Canal da Mancha, no entanto, o corpo do piloto do avião, David Ibbotson, ainda está por encontrar. As dúvidas sobre o que realmente aconteceu no acidente de 20 de janeiro ainda são muitas, de acordo com o jornal El Español.

A 20 de janeiro, o jogador Emiliano viajou no avião Piper PA-46-310P Malibu, que foi construído em 1984, com apenas um motor. O piloto Ibbotson foi chamado para pilotar à última hora, porque o colega David Henderson não estava disponível. Contudo, apesar de saber pilotar este modelo de aviões, Ibbotson não tinha a licença necessária para pilotar aeronaves com passageiros pagantes. O avião onde os dois viajam desapareceu dos radares a 21 de janeiro. Há ainda quatro perguntas sem resposta.

Porque é que o piloto sem licença conduzia o avião?

O corpo do piloto Dave Ibbotson continua desaparecido e esse enigma dificulta as investigações. A esposa do piloto afirmou que prefere que o corpo do marido permaneça debaixo de água, mas encontrá-lo é fundamental para responder a algumas questões.

Para Ibbotson, a aviação era um hobby e por esse motivo não tinha licença comercial, explica o jornal The Sun, que acrescenta que Dave já tinha sofrido um acidente de pilotagem em 1995.

Porque é que a busca pelos destroços parou?

Os investigadores encontraram o avião Piper PA-46 Malibu dividido ao meio, a 63 metros de profundidade. Durante o resgate, Dave Mearns, responsável pelas buscas, foi obrigado a tomar uma decisão difícil devido ao mau tempo que se fez sentir durante a operação: resgatar o corpo que estava entre os destroços e deixar para trás a fuselagem do avião. Conseguiram obter alguns destroços da aeronave, contudo, é necessário proceder à análise de outras peças importantes, que vão ajudar a concluir a investigação. As autoridades afirmam que não vão procurar a parte em falta, diminuindo assim as possibilidades de obter novas pistas.

Depois de a polícia britânica ter terminado a investigação, a família e amigos de Emiliano Sala amealharam 360.000 euros e iniciaram uma investigação privada para encontrar o corpo do jogador e a parte da aeronave.

Porque é que afinal Emiliano Sala viajou?

Mais um pormenor da história que o jornal El Español questiona. A publicação explica que um dos amigos do jogador, Maxi Duarte, afirmou que Emiliano foi “forçado” a viajar.

Duarte revelou: “Há apenas uma grande verdade por detrás disso, o responsável é o representante, mas vamos esperar um pouco. Emiliano nunca decidiu entrar no avião, era algo a que estava obrigado enquanto jogador”, acrescentando que Emiliano deveria ter viajado durante o dia e não de noite.

Foram também descobertas as mensagens que Emiliano trocou com Willie McKay, o responsável do Cardiff City que organizou o voo. Numa das mensagens, Willie escreveu: “Não há sentimentos, estamos apenas a fazer negócios”. Depois da notícia do acidente, a equipa britânica parou os três pagamentos ao clube de Nantes.

Será que Cardiff City irá pagar pelo jogador?

Por fim, falta perceber se a equipa britânica vai realmente realizar o pagamento do contrato de Emiliano Sala. O Cardiff City cumpriu com todas as formalidades para incorporar o jogador argentino na equipa por 17 milhões de euros, a transferência mais cara na história do clube galês. No entanto, depois da notícia do acidente, a equipa não transferiu os três últimos pagamentos.

O Nantes afirmou que não está disposto a perder o dinheiro da venda do argentino e denunciou a falta de pagamento do Cardiff. Segundo a BBC, os executivos do clube farão o pagamento “quando tudo estiver claro”, algo que, de Nantes, consideram uma técnica “hipócrita” para “ganhar tempo”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
248

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)