Rádio Observador

Holanda

Ataque em Utrecht: presumível autor já foi suspeito de violação e homicídio

309

Gökmen Tanis terá 37 anos, é de origem turca e será o autor do tiroteio desta segunda-feira num elétrico na cidade holandesa de Utrecht. Foi suspeito de violação e de tentativa de homicídio.

Autor do tiroteio terá 37 anos e é de origem turca

AFP/Getty Images

A polícia de Utrecht divulgou ao início da tarde desta segunda-feira uma fotografia do suposto autor do ataque num elétrico naquela cidade holandesa e que, de acordo com a imprensa holandesa, já terá um longo cadastro. Segundo o jornal holandês Algemeen Dagblad, Gökmen Tanis, de 37 anos, nascido na Turquia,  foi também suspeito de violação e de tentativa de homicídio.

Vários jornais holandeses estão a noticiar que a 4 de março um homem com o mesmo nome e a mesma idade do suspeito foi julgado por violação. No entanto, nem o advogado de Tanis nem o Ministério Público confirmam se se trata ou não da mesma pessoa, segundo avança o De Telegraaf e o site notícias holandês NU.nl.

Já o  jornal Algemeen Dagblad assume que são a mesma pessoa e além da suspeita de violação, terá sido também suspeito, em 2013, de tentativa de homicídio com arma de fogo. E, nos últimos anos, foram várias as vezes que esteve na mira da polícia: suspeito de tentativa de roubo de um camião, condução sob o efeito de álcool e desrespeito à autoridade, tendo chegado a cuspir na cara de um polícia.

Para além da imagem, a polícia de Utrecht avisa ainda a população para não se aproximar do suspeito, mas disponibiliza um contacto telefónico para quem o tiver visto. A fotografia do homem terá sido tirada dentro do elétrico onde ocorreu o ataque.

O tiroteio provocou três morto e nove feridos, e a polícia não descarta a possibilidade de ataque terrorista. O ataque aconteceu dentro de um elétrico e o suspeito estará em fuga, estando a cidade holandesa em estado de alerta máximo.

Na mesma conta do Twitter da polícia é pedido que todos os cidadãos que tenham fotografado ou filmado o ataque desta manhã entreguem o material às autoridades, de forma a ajudar na investigação.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: iameixa@observador.pt
Eutanásia

Pothoven, laissez-faire e a morte anunciada

António Graça Moura
143

Pothoven ficar-me-á sempre na memória como um símbolo, pelas reações que espoletou, duma sociedade pós-moderna que privilegia as soluções mais imediatas. E que o sistema que a devia ter apoiado falhou

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)