Banca

Autoridades suecas fazem rusgas à sede do Swedbank

As autoridades estão a investigar se 15 dos maiores acionistas do Swedbank receberam ilegalmente informação sobre a associação do banco ao escândalo da lavagem de dinheiro do banco Danske na Estónia.

Na terça-feira, a STV informou que um relatório interno do Swedbank identificou grandes violações das regras de combate à lavagem de dinheiro

Anders Wiklund/TT/EPA

As autoridades suecas fizeram rusgas esta quarta-feira à sede do Swedbank, um dos maiores bancos suecos, no âmbito de uma investigação para saber se o banco está envolvido num escândalo de lavagem de dinheiro nos países bálticos, foi anunciado.

Segundo uma fonte da autoridade do crime económico sueca, citada pela AP, o procurador Thomas Langrot está a investigar se 15 dos maiores acionistas do Swedbank receberam ilegalmente informação sobre a associação do banco ao escândalo da lavagem de dinheiro do banco dinamarquês Danske na Estónia antes da televisão pública sueca ter noticiado o assunto pela primeira vez em fevereiro.

Na terça-feira, a STV informou que um relatório interno do Swedbank identificou grandes violações das regras de combate à lavagem de dinheiro envolvendo os negócios na Estónia.

O relatório refere que o Swedbank  aceitou clientes que apresentavam um alto risco de lavagem de dinheiro e “não informou sobre quaisquer transações e atividades suspeitas”.

O banco disse que o relatório é parte de uma investigação externa mais ampla que foi disponibilizada às autoridades.

Em fevereiro, a televisão sueca SVT noticiou que meia centena de clientes do Swedbank realizaram transações suspeitas no valor de 40 mil milhões de coroas suecas (cerca de 4 mil milhões de euros) para contas do Danske Bank, o maior banco dinamarquês, nos países bálticos entre 2007 e 2015.

As revelações resultaram do acesso da SVT a documentos confidenciais sobre as operações entre as duas entidades relacionadas com a investigação ao Danske Bank, que se viu mergulhado num dos maiores escândalos bancários dos últimos tempos.

A Estónia ordenou que o Danske Bank fechasse a subsidiária local depois do banco dinamarquês ter admitido que enormes quantias de dinheiro foram lavadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Economia

Produtividade: a culpa é da mão de obra?

Fernando Pinto Santos

De quem é a culpa da baixa produtividade do trabalho em Portugal? Da mão de obra? Sim, mas é só um dos fatores. Falta também maior eficiência dos fatores produtivos e maior capacidade para criar valor

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)