França

Catedral de Notre Dame, a”Fénix”. As reações nas redes sociais

232

As fotografias, os desenhos e as mensagens de pesar pelo fogo que devastou a catedral na segunda-feira cresceram nas redes sociais.

O corcunda mais famoso da história chora com a catedral nos braços

Quasimodo chora agarrado à Catedral de Notre Dame. O lendário corcunda do romance de Vitor Hugo é uma das personagens mais recorrentes nas inúmeras reações que povoaram as redes sociais ao incêndio que devastou o monumento com 856 anos de história.

São várias as ilustrações da figura a chorar pela perda do lugar onde se habituara a tocar os sinos, na história de “Notre-Dame de Paris”.

Nesta ilustração, o Corcunda de Notre Dame chora ao olhar para as chamas no edifício que tem uma placa em que o nome da catedral muda para ”Notre Drame de Paris” (nosso drama de Paris).

Outro utilizador partilhou no Twitter mais uma imagem do Quasimodo, de costas para a catedral em chamas: ”Quasimodo chora em desespero, lamentando ‘é tudo o que eu sempre amei!’ E depois deixa Notre Dame sem nunca mais voltar”.

Já este utilizador da mesma rede social mostra esperança na reconstrução da catedral: ”No rescaldo desta tragédia que devastou a joia patrimonial de Notre Dame, símbolo internacional da história da França, devemos reconstruí-la. Não, Notre Dame não está morta. Ela é como uma Fénix e renascerá de suas cinzas”.

Pelas redes sociais perpassa um sentimento de perda não só para França, mas para a humanidade. As reações vêm de todo o lado. Abhishek Sharma, indiano, diz que ”Notre Dame, não é apenas a alma de Paris, fala da história humana e representa como evoluímos na arte, na cultura e na religião lado a lado. Está nos nossos corações lamentar por um dano tão terrível mas está também nas nossas almas reconstruir e preservar esses legados”.

Uma mulher partilhou uma ilustração do pináculo a cair para dizer:  ”Get Well” ou ”Fica bem, Notre dame”.

”Um dia muito triste. Chorei muito. Mas no fim de contas…a única coisa que quero dizer é: não vamos desistir, pessoal. O edifício principal sobreviveu, e eu tenho a certeza de que está a chegar o dia em que tudo vai ficar bem outra vez”, partilhou no Twitter.

As pessoas mostram alguma esperança na reconstrução do monumento ao fazerem referência a momentos históricos pelos quais a catedral passou e conseguiu sobreviver.

”A catedral de Notre Dame foi construída em 1163 e levou dois séculos a ser acabada. Sobreviveu às revoluções francesas e duas guerras mundiais. Qualquer pessoa que aprecie história, criatividade e beleza devia estar de coração partido agora. Estou muito triste por ter perdido esta parte da nossa história partilhada”.

A ação dos bombeiros não deixa de ser enaltecida, com algum alívio por terem conseguido salvar a estrutura do monumento. A propósito das declarações do comandamente dos Bombeiros de Paris, que garantiu que a estrutura foi ”preservada e salva na totalidade”, o inglês partilhou que ”o heroísmo dos bombeiros tem sido uma coisa maravilhosa.”

No Instagram, as pessoas também usam ilustrações e imagens da história de ficção que marca a Catedral. ”Não há palavras para descrever o que eu sinto quando vemos os vídeos de Notre Dame a cair. Séculos da história do meu país desapareceram em horas”.

Um espanhol partilhou uma imagem do incêndio no início da tarde ao descrever a situação como ”angustiante e dramática”. ”As chamas levaram 850 anos de história: escultura, arquitetura, pintura…Uma pena, um desastre enorme. A minha solidariedade com o povo francês, mas também com os milhões de pessoas que sofrem esta perda. Vai voltar a renascer das cinzas, não duvidem. Quando se vivem maus momentos que a vida põe no teu caminho, sempre nos resta a força do coração para seguir em frente”.

Da Noruega, chega mais uma mensagem de pesar dirigida a Paris: ”Um dia muito triste. O mundo chora contigo, Notre Dame”, diz este utilizador do Twitter, que partilhou uma imagem da Catedral antes do desastre.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: imartins@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)