A Amazon está a criar um aparelho que consegue ler e detetar emoções humanas. O gadget será controlado pela voz e pode ser usado no pulso, como um relógio. É descrito como um produto de saúde e bem-estar, avança esta quinta-feira o Bloomberg.

O aparelho será utilizado em conjunto com um aplicação para o telemóvel e está equipado com microfones que conseguem perceber e ler o estado emocional de quem o usa. Segundo documentos sobre o projeto a que o Bloomberg teve acesso, o aparelho poderá ajudar e aconselhar os seus utilizadores a interagirem com outras pessoas. O objetivo da Amazon é ainda o de recomendar produtos ao seu público de acordo com os estados emocionais registados pelo aparelho.

Ser despedido por um robô? Não é o futuro: na gigante Amazon já acontece

No entanto, é desconhecida a fase de desenvolvimento em que o projeto se encontra. A Amazon, uma das maiores empresas do mundo, é conhecida por dar liberdade às suas equipas e trabalhadores para que desenvolvam produtos como este. Alguns nem chegam a ser comercializados. Ainda assim, a Amazon tem a ambição de se impor como líder no mercado de software de reconhecimento de voz e aparelhos eletrónicos, pelo que este novo gadjet pode incluir ambos.

O Bloomberg falou com uma fonte envolvida no projeto. O funcionário, que pediu anonimato, apenas referiu que está para breve um teste ao programa do aparelho. Já a Amazon não fez ainda qualquer comentário sobre o assunto.

Em 2017, foi registada nos Estados Unidos uma patente que usa padrões vocais para determinar o estado de uma pessoa. O sistema reconhece “alegria, raiva, desapontamento, tristeza, medo, desgosto, aborrecimento, stress e outros estados emocionais”. Um esboço do projeto mostra que a tecnologia pode, por exemplo, detetar uma constipação e sugerir uma receita para uma canja de galinha. O Bloomberg avança que o aparelho da Amazon terá uma tecnologia semelhante.

Esboço da patente registada em 2017. Aparelho comunica e interage com o utilizador

Robôs a falar com humanos e a interagirem nas nossas vidas já foi apenas cenário de filmes de ficção científica ou uma simples meta imaginária. Contudo, esse futuro parece estar cada vez mais próximo. Empresas como a Microsoft, a Alphabet (dona da Google) e a IBM têm desenvolvido tecnologias para obter informação e dados de pessoas a partir de imagens ou áudio. Aliás, a Amazon já mostrou publicamente que tem, precisamente, o desejo de construir um verdadeiro “assistente pessoal” controlado por voz. Agora, o desejo pode mesmo tornar-se realidade.