Amazon

Amazon está a criar um autêntico assistente pessoal. É um relógio e consegue ler as emoções humanas

O aparelho será utilizado no pulso e terá microfones para perceber o estado emocional do utilizador. Objetivo é auxiliar a interação humana e oferecer sugestões de produtos com base nas emoções.

Ainda não se sabe qual a fase em que está o projeto ou se chegará a ser comercializado

A Amazon está a criar um aparelho que consegue ler e detetar emoções humanas. O gadget será controlado pela voz e pode ser usado no pulso, como um relógio. É descrito como um produto de saúde e bem-estar, avança esta quinta-feira o Bloomberg.

O aparelho será utilizado em conjunto com um aplicação para o telemóvel e está equipado com microfones que conseguem perceber e ler o estado emocional de quem o usa. Segundo documentos sobre o projeto a que o Bloomberg teve acesso, o aparelho poderá ajudar e aconselhar os seus utilizadores a interagirem com outras pessoas. O objetivo da Amazon é ainda o de recomendar produtos ao seu público de acordo com os estados emocionais registados pelo aparelho.

No entanto, é desconhecida a fase de desenvolvimento em que o projeto se encontra. A Amazon, uma das maiores empresas do mundo, é conhecida por dar liberdade às suas equipas e trabalhadores para que desenvolvam produtos como este. Alguns nem chegam a ser comercializados. Ainda assim, a Amazon tem a ambição de se impor como líder no mercado de software de reconhecimento de voz e aparelhos eletrónicos, pelo que este novo gadjet pode incluir ambos.

O Bloomberg falou com uma fonte envolvida no projeto. O funcionário, que pediu anonimato, apenas referiu que está para breve um teste ao programa do aparelho. Já a Amazon não fez ainda qualquer comentário sobre o assunto.

Em 2017, foi registada nos Estados Unidos uma patente que usa padrões vocais para determinar o estado de uma pessoa. O sistema reconhece “alegria, raiva, desapontamento, tristeza, medo, desgosto, aborrecimento, stress e outros estados emocionais”. Um esboço do projeto mostra que a tecnologia pode, por exemplo, detetar uma constipação e sugerir uma receita para uma canja de galinha. O Bloomberg avança que o aparelho da Amazon terá uma tecnologia semelhante.

Esboço da patente registada em 2017. Aparelho comunica e interage com o utilizador

Robôs a falar com humanos e a interagirem nas nossas vidas já foi apenas cenário de filmes de ficção científica ou uma simples meta imaginária. Contudo, esse futuro parece estar cada vez mais próximo. Empresas como a Microsoft, a Alphabet (dona da Google) e a IBM têm desenvolvido tecnologias para obter informação e dados de pessoas a partir de imagens ou áudio. Aliás, a Amazon já mostrou publicamente que tem, precisamente, o desejo de construir um verdadeiro “assistente pessoal” controlado por voz. Agora, o desejo pode mesmo tornar-se realidade.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sustentabilidade

As melhores empresas para o mundo! /premium

Laurinda Alves
104

Uma B Corp é uma empresa lucrativa que tem como modelo de negócio o desenvolvimento social e ambiental. A Empresa B cria benefícios a todas as partes interessadas e não responde apenas aos accionistas

Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)