As urgências das maternidades não vão encerrar durante o verão e não vai haver uma rotatividade dos serviços em Lisboa. A garantia foi dada esta quinta-feira à Rádio Observador pelo presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo. Luís Pisco anunciou ainda um reforço dos especialistas nos hospitais durante o verão.

Esteve em cima da mesa a possibilidade de haver uma rotatividade entre as quatro maternidades de Lisboa. Posso afirmar que isso não vai acontecer: não vai haver rotatividade das maternidades”, declarou Luís Pisco à Rádio Observador.

O presidente da ARS de Lisboa e Vale do Tejo explica ainda que os hospitais vão ser reforçados com novos médicos externos. Pediatras, obstetras e anestesistas estão entre as contratações desejadas.

Os serviços da Maternidade Alfredo da Costa, do Hospital de Santa Maria, do Hospital São Francisco Xavier e do Hospital Amadora-Sintra — que enfrentavam o encerramento das maternidades — vão agora proceder a um “levantamento das suas necessidades”. “Até ao dia 22 (de julho) teremos uma noção muito clara de quais as necessidades de contratações para preenchermos completamente as escalas até agosto e depois setembro”, adianta Luís Pisco.

Também o bastonário da Ordem dos Médicos já tinha afirmado que a solução para evitar o encerramento dos serviços era contratar mais médicos.

O Governo tinha decidido encerrar rotativamente estes serviços depois de os hospitais afirmarem que não tinham condições para manter as urgências em funcionamento no verão. Também os responsáveis pelas maternidades da zona Norte do país chegaram a manifestar as mesmas preocupações.