Rádio Observador

Mário Centeno

Mário Centeno no FMI? Português é um dos nomes apontados pelo Politico para suceder a Christine Lagarde

255

A lista tem quatro nomes — três homens e uma mulher — apontados pelo site como potenciais sucessores de Christine Lagarde na liderança do FMI. Centeno é um deles, mas tido como "pouco experiente".

PEDRO GRANADEIRO/LUSA

Um dia depois de Christine Lagarde ter apresentado oficialmente a carta de demissão do cargo de diretora administrativa do Fundo Monetário Internacional (FMI), os ministros das finanças da Alemanha, Itália e França – bem como os governadores dos bancos centrais destes países — estão a discutir numa reunião a norte de Paris os perfis dos potenciais sucessores à atual liderança da advogada, economista e política francesa. E um desses sucessores pode mesmo ser o ministro das Finanças português, Mário Centeno, escreve o Politico.

Fontes francesas afirmam ao site que é “pouco provável” que da reunião desta quarta-feira saia já “um candidato bem definido”, uma vez que têm até ao final de julho para encontrar o candidato ideal. Quase certo é que a liderança do FMI continue nas mãos de um europeu, o 12.º na história da instituição, que cumpre este ano 74 anos.

Jeroen Dijsselbloem, ex-ministro das finanças holandês e antecessor de Mário Centeno na presidência do Eurogrupo, é apontado como favorito pelos funcionários da UE, mas na calha estão ainda nomes considerados “menos experientes” para a função. Além do português Mário Centeno, a ministra da Economia espanhola, Nadia Calviño, e o antigo comissário europeu e presidente do banco central da Finlândia e antigo comissário europeu, Olli Rehn, são os restantes nomes que compõem as quatro possibilidades que serão analisadas na reunião em França.

Ainda que existam discussões preliminares no que diz respeito aos principais candidatos na reunião de ministros das Finanças do G7, cabe aos 24 membros da comissão executiva do FMI decidir sobre o futuro diretor-geral do Fundo.

Apesar das discussões preliminares sobre os potenciais candidatos na reunião dos ministros das Finanças do G7, a decisão final sobre o futuro diretor-geral do FMI é tomada pelos 24 membros da comissão executiva do Fundo.

Christine Lagarde vai deixar de ser diretora administrativa do FMI a 12 de setembro e apresentou a demissão depois de ser escolhida para líder do Banco Central Europeu (BCE). Apesar de não ser um processo imediato, depois de ter sido indicado o nome da francesa, será discutido e recomendado pelo Eurogrupo e de seguida aprovado pelo Conselho Europeu. Finalizadas as formalidades, seguem-se as consultas ao Parlamento Europeu e ao conselho de governadores do BCE.

Caso a nomeação de Christine Lagarde se verifique, será a primeira líder feminina do BCE. A antiga ministra das Finanças, Indústria e Emprego francesa lidera o FMI desde 2011.

A hipótese colocada pelo Politico coloca Portugal com dois antigos ministros das Finanças a cruzarem-se nos corredores da instituição. Vítor Gaspar é há cinco anos diretor do Departamento de Assuntos Orçamentais do FMI.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

O mundo ao contrário /premium

João Pires da Cruz

Se o seu depósito é mais importante do que aquilo que os pais deste bebé sentiram quando lhes disseram que o filho deles morreu instantes depois do nascimento, é porque tem o mundo ao contrário.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)