A Mercedes, bem como os restantes construtores, produz os seus veículos equipados com caixa automática com apenas dois pedais, um para acelerar e outro para travar. Colocados sempre pela mesma ordem, o acelerador à direita e o travão à esquerda, para facilitar e simplificar a vida dos seus clientes. Mas nem assim os fabricantes de automóveis conseguem evitar para surjam confusões. E acidentes.

Uma condutora de 64 anos decidiu que tinha chegado a hora de lavar o seu Mercedes Classe M na estação de serviço lá da zona, instalada junto à margem do rio Hackensack, que também o nome à cidade. Depois de o SUV estar com aspecto de novo, a condutora arrancou e apontou ao rio.

“Confundi o pedal do travão com o do acelerador e fui parar à água”, explicou a condutora depois do banho de imersão. Esta é a desculpa/justificação mais habitual entre os condutores que protagonizam episódios como este que, desta vez, felizmente não provocou qualquer vítima.

Porém, o mergulho deverá ter consequências tão aborrecidas quando dispendiosas no veículo, uma vez que a parte eléctrica que esteve em contacto com a água nunca mais voltará a ser a mesma. E mesmo que continue a funcionar, não é evidente que o faça durante muito mais tempo. Isto para não falar do cheiro que se instalará a bordo, de humidade ou pior, caso a água do Hackensack não esteja nas melhores condições.

Engine 5, Rescue 1, Safety and Deputy 4 responded to 424 River Street in the rear for a car that went off the embankment…

Posted by City of Hackensack Fire Department on Tuesday, July 16, 2019

O responsável pela polícia local, Nicole Foley, revelou que um bom samaritano entrou na água atrás do Mercedes, para retirar a condutora e trazê-la para terra seca, isto enquanto o passageiro de 27 anos abandonou o veículo parcialmente submerso pelos seus próprios meios.

A condutora fez ainda uma visita rápida ao hospital para tratar de ferimentos ligeiros, uma vez que, aparentemente, além de se baralhar com os pedais, fez o mesmo com o cinto de segurança.