A Tesla vai montar uma Gigafactory na Europa, sendo que este é um projecto que foi anunciado pelo seu CEO, Elon Musk, em 2016. Entretanto, a necessidade de privilegiar o mercado chinês, de longe o maior para veículos eléctricos, levou a que o investimento na Ásia se tornasse prioritário, relegando a fábrica europeia para mais tarde. Mas tudo indica que o anúncio de uma nova Gigafactory para o Velho Continente não passa de 2019.

A Tesla possui, de momento, cinco instalações fabris espalhadas pelo mundo. A sua primeira fábrica está instalada em Fremont, uma instalação que adquiriu à GM/Toyota que, ao que parece, foi mesmo preparada para a fabricação pelos japoneses. Esta é conhecida como Tesla Factory e é aí que nascem os Model S, X e 3 que são vendidos em todo o mundo. Algo que, no final de 2019, equivalerá a cerca de 520.000 unidades/ano.

À Tesla Factory na Califórnia, o construtor americano junta a Gigafactory 1, no Nevada, concentrada de momento na produção de células e packs de baterias, tanto para veículos como para as Powercells, das baterias estacionárias. Aí, a marca norte-americana produz as células 18650 que utiliza nos Model S e Model X, bem como as 21700 do Model 3, sendo todas elas fabricadas pela Panasonic em conjunto com a própria Tesla. O volume de produção anual aponta actualmente para 35 GWh de células e 50 GWh de packs, com estas imensas instalações a estarem igualmente concebidas para a produção de automóveis.

A Gigafactory 2 fica do outro lado dos EUA, em Buffalo, estado de Nova Iorque e pertenceu até há bem pouco tempo à SolarCity, empresa de Elon Musk hoje integrada na Tesla, especializada em painéis e telhas fotovoltaicas. A mais recente das Gigafactory, a 3, está a ser terminada na China, nas imediações de Xangai, onde vão ser produzidos os Model 3 e Model Y destinados ao mercado local e ao resto dos países asiáticos. No primeiro ano de produção completo, a Tesla estima o ritmo de fabricação em 250.000 unidades/ano.

Já há fábrica na Europa. Mas vem aí uma maior

Poucos sabem que a Tesla já possui uma fábrica no continente europeu. Está localizada em Tilburg, na Holanda, integrada no centro europeu de peças e serviços da marca americana. Além destas funções, Tilburg recebe os Tesla Model S e X sem os packs de baterias ou os revestimentos interiores, que são enviados à parte e, como tal, desmontados. A capacidade de montagem era de 200 veículos por semana, tendo sido aumentada para 450 no final de 2015, existindo ainda uma pista de ensaios interior, que permite velocidades até 110 km/h, onde todos os veículos montados são testados para despistar defeitos de montagem.

Mas se esta é uma fábrica destinada à montagem de alguns elementos em modelos já construídos, a Tesla prevê há muito a criação de uma linha de produção completa para o Velho Continente, tanto de células e packs de baterias, como de veículos. Actualmente, todos os veículos produzidos na China são destinados àquela região do globo, com as unidades comercializadas na Europa a serem fabricadas na Califórnia, sendo depois exportadas, num processo lento e caro.

O projecto de criar uma fábrica europeia é algo que é acalentado há muito por Musk, sendo vários os países que se candidataram a acolhê-la, com Portugal na corrida. A existência de lítio no subsolo era uma das vantagens esgrimidas pelo país, mas os entraves levantados à exploração do minério podem ter melindrado esta estratégia.

Por estar interessada em captar todo o tipo de investimentos associados aos automóveis eléctricos, a Alemanha é hoje o país que surge na pole position para atrair a Gigafactory europeia. Tudo indica que o anúncio do local escolhido para o efeito será realizado em breve, para a construção arrancar em 2020 e estar operacional em 2021, ou seja, um ano depois da Gigafactory 3.