Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O anúncio de que a marca norte-americana de veículos eléctricos Tesla pretendia ter uma fábrica de baterias em solo europeu pôs tudo a mexer: do Ministério da Economia à agência que capta investimento para Portugal, o AICEP, passando ainda por um grupo informal que foi criado no Facebook no sábado e que, hoje, conta já com 18.239 membros.

O patrão da Tesla, Elon Musk, é conhecido por ser extremamente activo nas redes sociais. Em particular, no Twitter. E é justamente por esse canal que o grupo designado “Bring Tesla Gigafactory to Portugal!” quer convencê-lo a instalar no nosso país a segunda Gigafactory da marca. Como? Enviando-lhe o seguinte tweet: “@elonmusk, 100.000 Portuguese are welcoming you to Portugal”.

Tudo “começou com um post no Facebook”, explica ao Observador André Marquet, um dos co-fundadores do grupo “Bring Tesla Gigafactory to Portugal!”, com uma notícia avançada pelo Faro de Vigo, onde se dava conta das diligências desencadeadas por Portugal e Espanha para atrair a nova fábrica da Tesla. “A ideia surgiu na sexta. No sábado criámos o grupo e, no domingo, coloquei um slideshow com 17 razões que justificam a vinda da Gigafactory 2 para o nosso país”, relata André Marquet, enfatizando que, no entanto, não é especialista na matéria e que, por isso, faz parte dos planos deste grupo “consubstanciar tecnicamente” a argumentação em prol da escolha de Portugal.

“Vamos fazer uma conferência a 5 de Dezembro, na sede da Beta-i, precisamente para criar um movimento mais consistente do ponto de vista da argumentação”, adianta, esclarecendo que estão já convidados a fazer parte dessa iniciativa “um conjunto de pessoas relevantes no ecossistema”. Nomeadamente, representantes do “Ministério da Economia, da Autoeuropa, da Tesla e dos municípios que já se manifestaram interessados em oferecer condições vantajosas para atrair este investimento” – caso de Palmela, Torres Vedras e Mangualde.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Será um evento after work e, neste momento, a avaliar pela adesão que temos vindo a registar, o mais natural é que as instalações da Beta-i [Av. Casal Ribeiro 28, Lisboa] sejam demasiado pequenas”, observa André Marquet. Segundo ele, “há já contactos entre membros do grupo e as entidades oficiais”, no sentido de haver uma coordenação de esforços, ainda que os criadores do grupo no Facebook não tenham “qualquer ligação directa ou indirecta” junto dos decisores institucionais.

“Somos apenas um conjunto de pessoas patrioticamente interessadas neste investimento, que querem constituir-se como uma plataforma de apoio informal, facilitadora e catalisadora.”

A Tesla deverá escolher o local que irá receber a Gigafactory 2 no primeiro trimestre de 2017. Ao que se sabe, estão na corrida, para além de Portugal, Espanha, França, Holanda e também alguns países da Europa de Leste. “Podemos oferecer à Tesla inúmeras vantagens”, sustenta André Marquet, sublinhando que uma delas passa, desde logo, por “não existir nesses países, até agora, nenhum movimento” semelhante ao“Bring Tesla Gigafactory to Portugal!” Isso será decisivo para convencer Elon Musk? “É possível. Pode não ser determinante, mas a dinâmica que entretanto se gerou e que está a crescer de dia para dia só pode ajudar”, opina André Marquet.

Outro dos administradores do “Bring Tesla Gigafactory to Portugal!”, Miguel Cunha Duarte, revelou entretanto ao Observador que o grupo “tem quadruplicado de membros” a cada dia que passa. Neste momento, são já mais de 18 mil os portugueses que fazem questão de demonstrar o seu interesse na captação deste investimento.

15152527_10154839047339903_690787478_o

A adesão ao grupo criado no Facebook mais que superou as expectativas dos promotores desta iniciativa

Miguel Cunha Duarte avança ao Observador que, na calha, está também uma campanha no Twitter. E mais: Elon Musk já foi tweetado que os portugueses estão prontos para lhe dar as boas-vindas.

15218630_10154839066424903_1134033419_n

Elon Musk gosta de “tweetar” e já foi “tweetado”… por portugueses

Conforme o Observador noticiou, o Governo português já estabeleceu conversações com a marca norte-americana, que se aprofundaram aquando da visita a Portugal de uma delegação da Tesla Motors, liderada por Douglas Alfaro e que incluía o responsável pelas Infra-estruturas de Carregamento na Europa. De acordo com a nota de agenda do Ministério do Ambiente, um dos tópicos do encontro foi “a possibilidade de atracção de projectos de investigação e desenvolvimento da Tesla, tirando partido da infra-estrutura rodoviária de classe mundial existente em Portugal”.

Em Sparks, no estado norte-americano do Nevada, onde foi instalada a primeira Gigafactory, foram investidos mais de 5.000 milhões de dólares com a previsão de criar 6.500 postos de trabalho directos e 11 mil indirectos, avança a imprensa americana. Números impressionantes, mas que deverão adquirir ainda maior expressividade no caso da Gigafactory 2, já que esta unidade industrial não irá produzir apenas baterias de iões de lítio, mas também os modelos da marca.