A revelação do Taycan ao público está agendada para o próximo salão de Frankfurt, a 10 de Setembro, embora as primeiras fotos do primeiro veículo eléctrico da Porsche a bateria sejam divulgadas uns dias antes, no dia 4. Mas se a apresentação do primeiro modelo da marca alemã que não recorre a um motor a gasolina ou a gasóleo é novidade, é-o igualmente o “frenesim” que o construtor tem revelado para chamar a atenção dos atributos do modelo, o que nunca tinha feito até hoje, tanto para os seus modelos mais desportivos, como para os SUV, de longe o grosso das vendas. Desta vez, é o recorde no anel norte (Nordschleife) da pista de Nürburgring.

Segundo o construtor de Estugarda, o Taycan realizou “uma volta em 7 minutos e 42 segundos”. A Porsche sublinha que isso constitui o “novo recorde entre os veículos eléctricos de quatro portas”, o que é verdade, uma vez que o Taycan é o primeiro do género a lá rodar oficialmente (falta ainda esperar pela homologação do tempo por volta, pois este tem de ser obtido perante um representante do circuito). Para se ter uma ordem de grandeza dentro da gama alemã, em relação ao tempo obtido, sempre podemos dizer que o Taycan eléctrico de 608 cv foi ligeiramente mais lento do que o Panamera Turbo, com 550 cv, que cumpriu os 20,6 km do traçado em 7.38,00.

A pista germânica é o local onde todos os desportivos vão medir forças, para estabelecer entre si o ranking de quem é o mais rápido. Entre os modelos a gasolina, a batalha é tremenda, com centenas de veículos de todas as marcas, formas e feitios, o que permite uma subdivisão por segmentos, colocando de um lado os coupés e do outro as berlinas desportivas (de quatro portas), havendo ainda espaço para os desportivos apenas com tracção à frente, uma categoria muito popular, com modelos substancialmente mais acessíveis mas não menos rápidos. Como, aliás, fica comprovado pelo facto de o Renault Mégane RS Trophy-R deter o recorde com 7.40,10 – sendo pois cerca de 2 segundos mais rápido do que o Taycan –, à frente do Civic Type R (7.43,80).

Se considerarmos exclusivamente os veículos eléctricos, só dois modelos atacaram a pista alemã com o objectivo de estabelecer o melhor tempo possível por volta – para além de um protótipo da Mercedes, o SLS AMG Electric Drive, de 2013 –, sendo o primeiro o Nio EP9 e o segundo o Porsche Taycan. O primeiro, um coupé chinês, percorreu os 20,6 km em 7.05,12, para depois regressar com o objectivo de bater o seu próprio recorde (entre os modelos eléctricos), mas assumindo-se igualmente como segundo mais rápido entre os carros de série, ao conseguir 6.45,90. Com este tempo-canhão, “arrumou” o Lamborghini Huracán Performante (6.52,01) e falhou por pouco o Aventador SVJ (6.44,97, que é o carro de produção corrente mais veloz no traçado.