Um ataque com drones já reivindicado pelos rebeldes iemenitas Huthis provocou hoje incêndios em duas instalações petrolíferas do gigante saudita Aramco no leste da Arábia Saudita, foi anunciado. Trata-se do terceiro ataque em cinco meses contra duas instalações.

A televisão dos Huthis, Al-Massira, reivindicou “uma operação de envergadura contra refinarias em Abqaiq e Khurais” na Arábia Saudita, país cujas forças estão comprometidas com o poder no Iémen contra os rebeldes. O ataque perpetrado com drones provocou incêndios em duas instalações petrolíferas da Aramco situadas em Abqaiq e Khurais.

“Às 04h00 locais (02h00 em Lisboa) equipas de segurança da Aramco intervieram para apagar incêndios em duas instalações”, indicou o ministério do Interior saudita, maior exportador mundial de petróleo.

“Os dois incêndios foram apagados”, adianta o ministério, sem precisar a origem dos drones nem se houve vítimas ou suspensão das operações.

As autoridades sauditas parecem ter reforçado a segurança nas duas instalações, impedindo os jornalistas de se aproximarem, refere a agência France-Presse.

Os Huthis, apoiados politicamente pelo Irão, grande rival regional da Arábia Saudita, reivindicam regularmente lançamentos de mísseis com drones contra alvos sauditas e afirmam que agem como represália contra os ataques aéreos da coligação militar liderada pela Arábia Saudita, que intervém no Iémen em guerra desde 2015.