Valete já tinha prometido resposta e aqui está ela. O rapper português chama “diva do feminismo” e “líder do feminismo burguês” e de “caviar” a Fernanda Câncio, que acusou o músico de a ter ameaçado na sequência de um artigo que escreveu sobre ele. Para Valete, a jornalista “devia estar presa” devido ao seu envolvimento “no caso Sócrates” e afirma: “É uma pessoa que eu hoje considero como minha inimiga, assim como todo o feminismo burguês”.

Num vídeo publicado no seu canal do YouTube esta sexta-feira, Valete começa por explicar que “estão aí a circular notícias deturpadas e falsas”. Valete acusa de seguida quem o tem criticado nas últimas horas de não se preocupar verdadeiramente com a causa feminista ou com as mulheres: “A luta feminista é a luta mais importante para a sociedade portuguesa e algumas dessas feministas popstars estão a ridicularizar a luta”. 

Venho de uma realidade onde as mulheres são escuras demais para terem empregos que não seja limpeza. Venho de uma realidade onde as mulheres são humilhadas uma vida inteira pelo SEF [Serviço de Estrangeiros e Fronteiras]. Nunca vi nenhuma dessas feministas popstars, aqui nos subúrbios, a travar luta feminista com estas mulheres que são praticamente escravas em 2019. Nunca vi”, lamenta.

E as críticas continuam: “Enquanto esse movimento feminista mainstream não estabelecer como prioridade a luta ao lado dessas mulheres que vivem numa condição de escravidão nos subúrbios de Lisboa, para mim esse movimento feminista é caviar”. “Para mim são todas feministas de sofá, feministas de teclado” e “querem fazer feminino de mãos limpas”, acrescenta.

No seu role de críticas, Valete fala nos comentários de “uma atriz conhecida na nossa praça” e numa “mulher que criou uma associação com dinheiro dos nossos impostos e fez desaparecer 70 e tal mil euros”. Mas o músico é mais perentório quando aborda Fernanda Câncio, a “ex-namorada de Sócrates” na altura em que o antigo primeiro-ministro “era um dos maiores criminosos de Portugal”. O artista refere-se ao caso da Operação Marquês, em que o ex-primeiro-ministro é suspeito de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito. Fernanda Câncio não foi acusada de qualquer crime.“Tinha uma vida de luxo ao lado do Sócrates, férias de luxo, lambuzava-se com dinheiro sujo”, acusa.

Pronto irmãos, é para perceberem que muitas dessas feministas mediáticas, elas estão-se a cagar para a luta das mulheres. Querem essencialmente mediatismo, levantar a bandeira do feminismo para conseguirem fazer eventos, associações e viverem à custa do dinheiro dos nossos impostos”, conclui o músico.

“Não acreditem em tudo o que veem na internet”, apela ainda Valete no vídeo que, em poucas horas, teve mais de 15 mil visualizações no YouTube.

No vídeo em questão, Valete acusa ainda Fernanda Câncio de não falar “da mulher cigana porque tem medo da reação dos ciganos”, crítica à qual a jornalista já respondeu via Twitter, lembrando que já escreveu “várias vezes” sobre o assunto e até fez um documentário para a RTP.