A liderança global da Nissan vai mudar de mãos, a partir de 1 de Janeiro de 2020, quando Makoto Uchida iniciar funções como CEO do construtor nipónico. O até agora vice-presidente da Nissan e presidente da chinesa Dongfeng Motor Co Ltd chegou ao fabricante de Yokohama em 1991. Uchida passou pela Samsung Motors (2012) e teve a seu cargo, como vice-presidente, as compras da Aliança e da Nissan. Agora sobe na hierarquia de comando, por nomeação do conselho de administração.

“O conselho concluiu que Uchida é o líder certo para impulsionar os negócios da Nissan. O comité da empresa liderou o processo de nomeação e avaliou os candidatos, de acordo com a nova estrutura de governance da Nissan, criada em Junho”, referiu o presidente do conselho de administração da Nissan, Yasushi Kimura. Segundo ele, esta escolha é tudo menos desprovida de significado:

Esperamos que Uchida lidere a empresa como uma equipa, concentrando-se imediatamente na recuperação dos negócios e na revitalização da companhia.”

Uchida vai assumir o lugar de Yasuhiro Yamauchi que, por sua vez, está como CEO interino desde que Saikawa deixou o cargo, em Setembro, depois de ter sido apanhado a receber dezenas de milhões de ienes indevidamente.

Mas as mudanças na estrutura da Nissan não ficam por aqui. O actual director de Operações da Mitsubishi Motors Corporation, Ashwani Gupta, passa a representante executivo e COO da Nissan, ou seja, será o “braço-direito” de Uchida. A reportar-lhe directamente, passa a contar com o até agora vice-presidente sénior da Nissan, Jun Seki, que foi nomeado para o cargo de vice-presidente de Operações.

E, tal como o novo CEO não ficou isento de “recados”, também Seki e Gupta mereceram um “conselho” do conselho de administração. “Esperamos que Gupta e Seki alavanquem totalmente os seus conhecimentos e experiência para apoiar o novo CEO”, recomenda Yasushi Kimura.