Depois da condenação de nove líderes catalães que executaram o referendo da independência da Catalunha a penas que vão até aos 13 anos de prisão, os independentistas voltaram a sair às ruas de Barcelona em protesto. Praças, metro, estações de comboio e até o aeroporto da cidade foram invadidos por milhares de pessoas que gritaram por “liberdade” e “independência” e protagonizaram momentos de tensão com as autoridades.

No aeroporto de Barcelona, os manifestantes surgiram de cara tapada e obrigaram ao encerramento de terminais, tendo até obrigado ao cancelamento de 67 voos até ao momento (apesar de a Vueling indicar que só esta segunda-feira cancelou 100 voos). O corpo de segurança chegou a intervir e vários manifestantes foram detidos. Na estrada que leva até ao aeroporto, milhares de pessoas seguiram a pé em direção ao edifício principal, com cartazes e bandeiras da Catalunha, obrigando também ao encerramento dos acessos ao aeroporto.

No interior do aeroporto, a polícia utilizou a força para dispersar os manifestantes. O momento foi captado por várias pessoas e publicado nas redes sociais. Já no exterior, também milhares pessoas tentaram invadir os terminais.

No acórdão publicado esta segunda-feira de manhã, os sete juízes do Supremo Tribunal deram como provado o crime de sedição e também de desvio de fundos para a maioria dos 12 independentistas catalães, cujo julgamento começou em fevereiro deste ano e durou quatro meses.

Além disso, e após a condenação, um juiz do Supremo Tribunal de Justiça espanhol reativou o mandado de detenção europeu para a extradição de Carles Puigdemont, ex-Presidente do governo regional da Catalunha que está atualmente na Bélgica e é acusado de sedição e peculato em Espanha, o que veio aumentar a onda de protestos desta segunda-feira.

[Veja a fotogaleria acima com as imagens dos protestos em Barcelona]