O segundo volume da mais recente tradução de As Mil e Uma Noites, a primeira em português feita a partir dos manuscritos árabes mais antigos, vai ser publicada no próximo mês de dezembro, pela E-Primatur.

O livro chega dois anos depois do primeiro volume, que reúne 101 das 282 histórias contadas por Xerazade ao rei Xariar. É que, apesar do título As Mil e Uma Noites nunca tiveram 1.001 contos, como explicou na altura ao Observador o tradutor, Hugo Maia. Além disso, as histórias mais famosas, como “Ali Babá e os Quarenta Ladrões” ou “Aladino”, não fazem parte dos textos originais, tratando-se de invenções tardias, dos séculos XVIII e XIX.

Até ao final do ano, a E-Primatur planeia publicar também o segundo volume das obras completas de Luiz Vaz de Camões (com introdução e notas de Maria Vitalina Leal de Matos), o primeiro de contos e novelas de Camilo Castelo Branco (com organização, introdução e notas de Hugo Pinto Santos), e A estalagem voadora, de G. K. Chesterton, um distopia sobre um Reino Unido do futuro em que as bebidas alcoólicas são proibidas.

Na não-ficção, as apostas da editora vão para a História do Império Habsburgo, de Pieter M. Judson, O grande livro do xadrez, de Álvaro Pereira, e O Estado e outros textos, de Frédéric Bastiat.