A procuradoria de Los Angeles, nos EUA, publicou um aviso no seu site oficial:

“Evite usar tomadas de energia USB em aeroportos, hotéis e outros locais, pois podem conter malware [programa informático malicioso]”.

Estas tomadas USB públicas são muitas vezes uma forma conveniente para carregar o smartphone, se só andar com o cabo atrás, mas “um carregamento gratuito pode tirar todo o dinheiro da sua conta bancária”, avisa o procurador Luke Sisak.

A tática para roubar e aceder aos dados do smartphone chama-se “juice jacking” (em inglês o termo juice, significa sumo/suco e jacking significa roubar). Como conta o The New York Times, convém pensar duas vezes antes de “usar aquele cabo aleatório encontrado numa estação de carregamento nos aeroporto ou acoplado à porta USB do hotel”.

Da mesma forma que alguém mal intencionado pode usar terminais de pagamento automáticos ou caixas multibanco para copiar cartões bancários, um pirata informático pode alterar estas tomadas para servirem os seus propósitos. Além destas tomadas, os cabos de carregamento também pode ser adulterados com malware. Além de aceder aos dados do telemóvel e enviá-los para o hacker, este método pode bloquear permanentemente um smartphone.

Como medidas de proteção, a procuradoria de Los Angeles recomenda que quem viaja utilize o carregador do telemóvel, e não só o cabo, ligando a uma tomada tradicional caso precise de energia. Além disso, para quem tem pouca bateria no smartphone, há sempre a opção de ter carregadores para tomadas dos isqueiros dos carros ou ter uma bateria portátil extra para maior comodidade, e segurança.