O Deutsche Bank, maior banco da Alemanha, poderá eliminar cerca de 6.000 postos de trabalho, segundo o jornal económico Handelsblatt desta quinta-feira, com base em informação obtida em “círculos financeiros”.

A redução da força de trabalho ocorrerá numa reestruturação do banco que tem como objetivo baixar os custos em cerca de 1.000 milhões de euros até 2022, adianta a fonte.

O corte dos postos de trabalho deverá ser ainda maior até 2022 e o banco está a estudar a eliminação de 18.000 postos de trabalho, para que em 2022 tenha 74.000 trabalhadores em todo o mundo.

O Deutsche Bank ainda não determinou os setores nem as regiões que serão afetados pelos cortes de postos de trabalho, refere a mesma fonte.

O presidente do banco, Christian Sewing, advertiu que “naturalmente, parte dos cortes se darão na Alemanha”.

A reestruturação implicará o encerramento de entre 200 e 300 agências, segundo informações do “Manager Magazin”.

Um porta-voz do banco disse ao “Handelsblatt” que, ainda que esteja prevista uma revisão da rede de agências, ainda não se pode precisar quais serão afetadas por fusões ou cessações.

O corte de postos de trabalho vai concentrar-se nos empregos de alto nível, segundo o jornal alemão.