A banca perdoou milhões de euros em dívida àquele que é o maior produtor português de cogumelos, escreve esta sexta-feira o Jornal de Negócios. A Varandas de Sousa, empresa principal do grupo Sousacamp, tem dívidas no valor de 60 milhões de euros e esteve dois anos à beira da falência. Depois de várias tentativas de recuperação, a empresa foi adquirida por um fundo gerido pela capital de risco Core Capital que viu serem perdoados cerca de três quartos da dívida.

O jornal assegura que a banca perdoou perto de 70% dos créditos: o Novo Banco fez um desconto (“haircut”) de cerca de 24 milhões dos mais de 34 milhões de euros em dívida e a Caixa Agrícola Mútuo desistiu de 11 milhões dos cerca de 15,9 milhões de euros que reclamava. Os credores comuns foram obrigados a perdoar grande parte dos seus créditos sobre a Varandas de Sousa, Galp (203 mil euros) e EDP (42 mil euros) incluídas. Os créditos ao Fisco e à Segurança Social serão pagos na totalidade.

Bruno Costa Pereira, administrador da insolvência da Sousacamp e da Varandas de Sousa, disse ao Jornal de Negócios que a solução “é a que melhor garante os interesses dos credores” e é também uma forma de garantir a “preservação do emprego” e da “continuidade deste player”.