A candidatura de Luís Montenegro exigiu esta quinta-feira que — na sequência da notícia do Observador sobre militantes que votaram sem sair de casa — seja aberto de “imediato” um “inquérito por parte do Conselho de Jurisdição Nacional” à situação e que, caso os factos sejam confirmados por aquele órgão, sejam declarados inválidos os votos naquela secção da distrital de Bragança. Tratam-se de 25 votos na candidatura de Rui Rio, que o espinhense considera “ilegais“.

Num comunicado enviado às redações, a candidatura de Luís Montenegro acusa o próprio Rui Rio de ser cúmplice destas práticas e começa por “deixar claro no plano político, que o candidato Rui Rio está permanentemente a falar de ética relativamente aos outros, mas pactua com comportamentos inaceitáveis em benefício da sua candidatura”.

Luís Montenegro pretende assim “solicitar de imediato a abertura de um inquérito promovido pelo Conselho de Jurisdição Nacional, que apure toda a veracidade da notícia publicada pelo Observador e atue sobre os responsáveis de tão grave violação das regras democráticas.” Mais do que isso, a candidatura derrotada na primeira volta pede que “na sequência da confirmação dos factos relatados na referida notícia seja declarado inválido o escrutínio da secção de Freixo de Espada a Cinta”.