É um facto que a Skoda já incluiu na sua gama de veículos um modelo eléctrico a bateria, mas não é menos verdade que o pequeno Citigo iV nasceu originalmente como um modelo com motor de combustão, só posteriormente tendo sido electrificado. Com o futuro Skoda Enyaq, assim se vai chamar o eléctrico da marca checa, tudo promete ser diferente.

Enyaq parece ser a junção de Enya, nome feminino vulgar na Irlanda, com a letra Q, habitual nos SUV da Skoda, como facilmente se conclui depois de passar em revista as denominações dos modelos da marca com espírito mais radical, do Kodiaq ao Karoq, passando pelo Kamiq. E, como seria de esperar, a letra “E” inicial serve para chamar a atenção para a motorização eléctrica.

A base para o Enyaq é a plataforma MEB, que vai origem à maioria dos eléctricos a bateria do grupo VW, a começar pelos VW ID.3 e Seat el-Born, os primeiros destinados a ver a luz do dia, ainda em 2020. Ao assumir-se como um SUV eléctrico, o novo Skoda está longe de estar sozinho no consórcio alemão, uma vez que vai partilhar quase tudo com o VW ID.4, Audi Q4 e-tron e Cupra Tavascan.

O Enyaq deverá ser proposto por valores entre os 40.000€ e os 45.000€ e será apenas um dos cinco eléctricos a bateria que a Skoda quer oferecer em 2022. Tudo para garantir que, em 2025, os eléctricos e os híbridos plug-in asseguram uma percentagem de 26% das vendas totais do fabricante. Resta conhecer os diferentes níveis de potência, bem como as distintas capacidades da bateria.