Portimonense, Rio Ave, Basaksehir, Boavista. Três vitórias, um empate. Há quatro jogos que o Sporting não sofre qualquer derrota, entre três jogos para a Primeira Liga e outro para a Liga Europa. Uma série que, à partida, não seria nada de extraordinário para uma equipa como o Sporting: mas que, analisando os números, é inédita em Alvalade esta temporada.

Além dos quatro jogos sem perder para todas as competições, o Sporting somou ainda a sexta partida da época sem sofrer golos, um pormenor que tem sido o calcanhar de Aquiles da equipa desde o início da temporada. Com a vitória convincente em Alvalade perante o Boavista, com golos de Sporar e Plata, aliada também ao resultado positivo perante o Basaksehir na Liga Europa, os leões parecem estar a atravessar um dos melhores momentos desportivos da época, depois de um início de 2020 muito complicado que trouxe derrotas com FC Porto, Benfica e Sp. Braga e ainda a eliminação da Taça da Liga.

O resultado conquistado frente ao Boavista de Daniel Ramos é especialmente relevante se tivermos em conta que Silas poupou Acuña e Ristovski, não tinha Coates nem Mathieu e deixou Rafael Camacho e Bolasie no banco. O onze alternativo dos leões deixa subentendido que o treinador leonino está a apostar na Liga Europa e quis poupar os habituais titulares e os jogadores mais utilizados já a pensar na visita de quinta-feira a Istambul.

Quem assinalou a exibição do Sporting foi Bruno Fernandes, antigo capitão dos leões que este domingo se estreou a marcar pelo Manchester United e ainda fez duas assistências na vitória da equipa de Solskjaer contra o Watford. No Instagram, o médio português colocou uma fotografia da televisão, onde aparecia o jogo do Sporting com o Boavista, e elogiou a exibição de Gonzalo Plata, ao escrever “Bien, Platita”. 

A imagem que Bruno Fernandes partilhou nas redes sociais

Na conferência de imprensa, Silas garantiu que ainda faltam “algumas coisas” à equipa mas que os últimos jogos mostram que o grupo “tem estado em crescendo”. “Sem dúvidas. Estou contente com aquilo que produzimos na quinta-feira e também hoje, pois colocámos muitos jovens em campo que deram uma boa resposta. A ideia é a de que todos contam e todos vão ter oportunidades, tal como o Geraldes, que entrou”, explicou o treinador, que falou ainda sobre a importância de “marcar na primeira parte” e marcar “mais do que um” golo. “Porque o 1-0 é sempre um resultado instável. A vontade era ir para o intervalo a ganhar 2-0, porque sabíamos que o Boavista iria carregar mais, devido ao cansaço, pois metade da equipa jogou na última quinta-feira. Mas, sim foi a jornada perfeita, conseguir fazer os dois golos na primeira parte e na segunda controlar”, acrescentou Silas.

O treinador do Sporting falou ainda sobre a capa deste domingo do jornal Record, que referia as declarações de Silas em relação a Bruno Fernandes na antevisão do jogo com o Boavista e afirmava que o técnico se tinha “atirado” ao médio português. “É uma capa desonesta. Tiram do contexto declarações minhas, como se eu tivesse posto em causa o profissionalismo de um jogador pelo qual tenho imenso respeito. Porque eu não me atirei ao Bruno. Agora estou a atirar-me ao Record. Falei de uma situação que acontece com todos os jogadores que é quando a janela de transferências está aberta. O Bruno foi dos melhores profissionais com quem já trabalhei. Em conversas com jornalistas, dizem-me que os clubes deviam ser mais abertos, mas como é que podem ser? Não me faltem ao respeito, nem a mim, nem ao Bruno. Se querem vender mais jornais ou ter um melhor programa logo à noite, isso são outras questões. Mas, para mim, a capa de hoje é desonesta”, concluiu Silas.