O primeiro-ministro, António Costa, disse acreditar que “mais tarde ou mais cedo” haverá casos confirmados de coronavírus em Portugal mas, até lá, o país mantém-se no grupo de países europeus que ainda não têm, que se saiba, pessoas infetadas. E essa é uma das principais razões que levam o britânico Express a recomendar aos seus leitores uma viagem de férias até Portugal: é um país com “baixo crime, voos baratos e, claro, nada de coronavírus.

Portugal é um “destino de sonho para os viajantes que estejam a tentar escapar ao caos – desde o coronavírus até às elevadas taxas de crime – que está a assolar o mundo neste momento”. Basta ver que, na vizinha Espanha, já há vários casos confirmados de infeção por coronavírus, tal como em outros destinos que competem com Portugal como a Itália e a Grécia.

Para a maioria dos britânicos, Portugal como destino de férias apetecível não é propriamente uma novidade, mas a instabilidade gerada pela expansão do vírus – desde logo no setor das viagens – torna “as espantosas praias e os mares cristalinos” no país ainda mais atrativos. E com uns “impressionantes” 300 dias de sol por ano, diz o Express, há boas probabilidades de se apanhar “tempo maravilhoso para aqueles que queiram fugir aos céus cinzentos” que são mais frequentes no Reino Unido.

“É um ótimo destino de férias para viajantes sozinhos, para grupos ou para famílias que estejam a precisar de fugir à rotina do quotidiano”, recomenda o jornal.