Depois do Porto, também a Câmara Municipal de Lisboa (CML) decidiu criar centros de rastreio e diagnóstico ao Covid-19. O Observador sabe que a autarquia, em conjunto com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), prevê que as duas unidades dedicadas à colheita de amostras para rastreio da doença já estejam a funcionar no final desta semana.

Os testes nestas unidades de despistagem, a cargo dos laboratórios Germano de Sousa e Unilabs, serão feitos aos “cidadãos que tenham prescrição médica passada unidades de saúde do SNS”, segundo comunicado da CML. Todos os testes serão gratuitos e as duas unidades vão estar abertas ao fim de semana. Os locais também já são conhecidos:

  • Escola Básica Quinta dos Frades, no Lumiar. Terá capacidade para realizar entre 300 a 400 testes, funcionando com dois médicos e seis técnicos laboratoriais.
  • Centro de Rastreio Móvel (drive-thru) no Parque das Nações. Esta unidade vai ficar instalada no parque de estacionamento junto à Rua Vitorino Magalhães Godinho. Terá capacidade para 150 análises diárias – podendo este número aumentar de acordo com as necessidade.

De realçar que estes dois centros inserem-se numa rede de 10 unidades a serem instaladas nos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa. Em entrevista à TVI24, Fernando Medina reconheceu que este “trabalho em conjunto na área metropolitana permite responder às necessidades do serviço nacional de saúde e dos cidadãos”, e sublinhou a importância deste método de diagnóstico em vários países, nomeadamente na Coreia do Sul, que implementou testes de despiste em larga escala à sua população como forma de tentar travar o novo coronavírus. “Estes centros de rastreio ajudam a sinalizar os casos positivos e a confinar mais todas as possibilidades de contacto dessas pessoas. E também , numa fase mais precoce, a decidir se a pessoa tem o tratamento em casa ou se precisa de uma intervenção de carácter hospitalar”, acrescentou.

Cascais também com dois centros de rastreio

Também a Câmara de Cascais vai abrir dois espaços para rastrear gratuitamente os habitantes do município. Tal como em Lisboa, as unidades estarão abertas a toda a população mas uma pré-inscrição para marcação será sempre obrigatória. Para “evitar grandes aglomerados”, segundo explicou Carlos Carreiras ao Público. As análises serão gratuitas para toda a população do município e os custos suportados pelo Serviço Nacional de Saúde e pela autarquia. Estes testes estarão a cargo da rede de laboratórios Germano de Sousa e da Joaquim Chaves. E em Cascais, a colheita das amostras biológicas não será feita no modelo anunciado pela Câmara do Porto —  em modelo “drive thru”. Por isso, os espaços já estão escolhidos:

  • Centro de Congressos fica destinado à população das antigas freguesias de Cascais, Estoril e Alcabideche
  • Cerci (Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas) da Rana, um equipamento novo e ainda por estrear, para os habitantes das freguesias de Carcavelos, Parede e S. Domingos de Rana.

Centro de rastreio Covid-19 abre portas no Porto esta quarta-feira