Um responsável do Ministério da Saúde de Espanha considerou esta quarta-feira em Madrid que a evolução de casos com o novo coronavírus verificada nos últimos dias indica que o país está “muito perto” do pico da pandemia.

É difícil saber o momento exato em que nos encontramos com os dados que temos. Neste momento, com a evolução do aumento dos casos, se ainda não estamos no auge, estamos muito perto”, sublinhou o diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias, Fernando Simón.

O responsável do Ministério da Saúde insistiu que o aumento diário das mortes se estabilizou: “O que implica que não estamos longe desse pico nacional”, disse.

Fernando Simón defendeu que as tendências observadas indicam que Espanha não está a andar para trás, mas sim a aproximar-se do pico (ponto mais alto) da curva epidémica e que quando o número de novos casos começar a descer é necessário continuar com as medidas e manter “a tensão durante mais tempo”, para acabar com a Covid-19.

O número de mortos em Espanha devido à pandemia de Covid-19 ultrapassou esta quarta-feira o da China continental, com um total de 3.434 vítimas mortais, segundo a atualização diária feita pelas autoridades de saúde do país.