Por estes dias é possível assistir a uma nova forma de os cristãos celebrarem a sua fé e poderem participar na missa. Seja pelo livestreaming através do Facebook, televisão ou rádio, as propostas são variadas. Algumas paróquias têm mesmo diversos momentos diários em que a população pode assistir nas suas casas a vários momentos de oração. Mas se há locais onde existem essas possibilidades, outros permanecem afastados desta realidade, como é o caso da Paróquia da Roliça no Bombarral.

O Padre Pedro Tavares celebra todos os dias numa Igreja Paroquial completamente vazia. É ele que abre as suas portas, que prepara tudo para a celebração, que toca o sino da torre para avisar os habitantes que a missa estará prestes a começar e que depois preside à missa, numa igreja despida de fiéis.

Sempre que eu subo ao altar e celebro Eucaristia, faço-o em nome do povo apesar de não o ter aqui fisicamente. Celebro todos os dias a missa sozinho, com a igreja vazia”, explica o pároco ao Observador. Durante a missa fica claro que o Padre Pedro continua a celebrar como se tivesse a Igreja cheia, para ele nenhum pormenor é descuidado.

Entretanto, a comunidade continua a celebrar a sua fé à distância. É simples. À mesma hora da Eucaristia, 10h00 da manhã, os fiéis, em suas casas, improvisam os seus altares e aí rezam a proposta que o sacerdote lhes faz chegar diariamente através do Whatsapp no dia anterior e do site que o pároco criou especialmente para esta época de quarentena.

Um dos casos é o de Aida Pedro, paroquiana da Roliça. “Nunca pensei não poder ir à Igreja quando eu quero, é tudo muito estranho”, explica ao Observador. Aida está religiosamente todas as manhãs junto à sua mesa devidamente preparada, a rezar com toda a comunidade, algo que só lhe é possível fazer devido ao encerramento da sua loja em virtude da pandemia.

Já Patrícia Henriques e o seu filho Rodrigo vão para junto da mesa de cabeceira e é aí que rezam, ajoelhados. O local que Rodrigo escolheu para rezarem não foi fruto do acaso. O pai de Rodrigo é bombeiro e não pode regressar a casa por questões de segurança — o jovem decidiu optar por aquele sítio para aí rezar todos os dias por ele.

Nesta zona do Oeste o Povo não esmorece na fé apesar de estar “triste e dorido” como nos confidenciou o sacerdote.

Veja a fotogaleria acima.