A 9.ª edição do Rock in Rio Lisboa foi adiada para o próximo ano na sequência da pandemia do novo coronavírus, anunciou esta sexta-feira em comunicado a vice-presidente executiva, Roberta Medina.

O festival, que deveria decorrer entre nos dias 20, 21, 27 e 28 de junho deste ano, no Parque da Bela Vista, em Lisboa, vai passar assim para os dias 19, 20, 26 e 27 de junho de 2021. Isto significa que o Rock in Rio, que se realiza nos anos pares, terá excecionalmente duas edições seguidas em Portugal: “Em 2022 estaremos de volta para a 10.ª edição, não deixando sequer espaço para a saudade e retomando a festa ‘nos anos pares’, confirmou a vice-presidente.

Os bilhetes adquiridos para a edição de 2019 serão válidos para as novas datas, ficando os dias em aberto até confirmação do cartaz, informou Medina. Quando for levantado o estado de emergência, atualmente em vigor até 17 de abril, serão divulgadas outras informações relativas ao evento e respetivo cartaz.

“Até lá, o nosso desejo é apenas um: vamos continuar a sorRiR! Porque é sorrindo que vamos vencer mais essa e é sorrindo que, todos juntos, iremos voltar a aproveitar a música, o entretenimento e a cultura, num futuro próximo”, disse Medina.

Para a edição deste ano, estavam confirmados, entre outros, artistas como Foo Fighters, The National, The Black Eyed Peas, Post Malone, Duran Duran, Anitta, A-ha e Bush. Camila Cabello, que também fazia parte do cartaz, já tinha anunciado o adiamento da digressão que iria trazê-la a Lisboa.

O Rock in Rio é o mais recente festival a realizar-se em solo português a anunciar uma alteração nas datas da edição deste ano. O Primavera Sound do Porto, previsto para 11 a 13 de junho, foi adiado para 3, 4 e 5 de setembro, o Boom Festival, em Idanha-a-Nova, foi remarcado para o próximo ano e o Tremor, nos Açores, ficou de revelar novas datas depois do fim do estado de emergência. O Festival Músicas do Mundo, em Sines, optou por cancelar.