Os pilotos profissionais acreditam que se continuarem a ser mais rápidos do que os seus rivais, evitarem despistes e não estragarem demasiados motores ou chassis, têm o seu lugar garantido. Mas, por vezes, os despistes verbais são piores do que os acidentes físicos e podem igualmente levar ao despedimento.

Kyle Larson é um piloto da Nascar, onde participa aos comandos de um dos Chevrolet Camaro ZL1 do Team Chip Ganassi Racing, para quem conduz desde 2014 e onde já venceu em seis ocasiões. No Nascar de 2020, quando a competição foi suspensa após quatro provas, devido à Covid-19, Larson era 7º e, desde então, tem disputado corridas virtuais no eNascar – daquelas em que até pode competir sentado no sofá e de pijama.

Foi exactamente nessas corridas a brincar que o americano cometeu um deslize que lhe pode ter custado a carreira. Apesar de ser uma corrida virtual, Kyle Larson continua a ser um piloto profissional, com direito a ter um spotter que o mantém informado acerca da posição dos seus rivais, bem como a respectiva estratégia de corrida. Depois de ter perdido momentaneamente a ligação com o spotter, Larson tentava confirmar se este já estava de novo a ouvi-lo. Foi então que proferiu a frase problemática: “You can’t hear me? Hey nigger”.

O termo “nigger” não aparenta ter sido proferido em tom ofensivo, mas sim coloquialmente entre colegas de trabalho, com a outra parte a não se mostrar ofendida. Contudo, nos dias que correm, é uma palavra banida do léxico, especialmente se difundida publicamente. Para azar de Larson, o seu microfone estava a funcionar na perfeição…

A Chevrolet, a McDonald’s e o Credit One Bank foram os primeiros a cortar relações com o piloto, a que se seguiu a Chip Ganassi, para evitar perder os patrocinadores. Na lista das punições seguiu-se a Nascar, que suspendeu o piloto indefinidamente. Mesmo apesar do pedido de desculpa que pode ver abaixo:

Há uma réstia de esperança para Larson na Nascar, uma vez que a organização o obrigou um treino de “sensibilidade”, para aprender que, para ser piloto profissional, há que ter mais cuidado com os termos que se utiliza, especialmente quando há sempre alguém à escuta. Oiça aqui a opinião de Joey Logano sobre a polémica, ele que se sagrou campeão em 2018 e é adversário de Larson (ao minuto 3.01 do vídeo):