Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Além das corridas tradicionais, o mítico circuito de Nürburgring-Nordschleife, com os seus retorcidos 20,83 km e 154 curvas, impõe-se cada vez mais como a bitola pela qual se medem os desportivos que desejam bater a concorrência. Extremamente variada, com zonas muito rápidas misturadas com curvas muito lentas, tudo isto num piso não muito regular, a conceituada pista alemã está frequentemente reservada por construtores que desejam estabelecer a volta mais rápida do seu modelo, a fim de o posicionar no ranking à frente dos concorrentes. E estas voltas “canhão”, antecedidas por vários dias de testes, têm de ser acompanhadas por técnicos do circuito para serem certificadas.

Quem conta a história do que aconteceu nos últimos dias no velho traçado de Nürburgring é o jornalista da publicação Road & Track. A 25 de Agosto, havia três modelos a rodar no Nordschleife (anel norte), nomeadamente o BMW M8, o Chevrolet Corvette Z06 e o Tesla Model S Plaid, todos eles desejosos de mostrar o melhor que são capazes de fazer numa volta à pista. Porém, a realidade e as contingências típicas de rodar em circuito em perseguição de um record tiveram o condão de furar as aspirações das marcas envolvidas.

O primeiro construtor a sofrer um revés foi a BMW, que viu o seu M8 ficar destruído após uma saída de pista na rápida sequência de Kesselchen. De acordo com a Road & Track, o desportivo capotou pelo menos uma vez, destruindo uma considerável extensão dos rails de segurança. Porém, nem só a marca germânica foi vítima do Nordschleife, uma vez que também o Model S Plaid sofreu uma saída de pista, seguida de embate nos rails, curiosamente umas centenas de metros mais à frente, em Klostertal, igualmente numa sucessão de curvas muito rápidas que termina numa direita fechada.

Este é o traçado do Nordschleife. As saídas de pista ocorreram em Kasselchen e Klostertal, sendo esta última, incluindo a curva seguinte, o mítico carrossel, que se pode ver na foto de abertura

O Corvette Z06 não sofreu qualquer beliscadura ou saída de pista, mas a GM parece ter sido a marca mais prejudicada. Isto porque tinha o circuito reservado para esse mesmo dia, para tentar arrancar uma volta “canhão” – a R&T avança mesmo que o Z06 estava a meio da tentativa quando foi obrigado a abortar a volta –, o que lhe foi negado pela necessidade de interromper a circulação para limpeza e substituição dos rails. Como se espera que a chuva visite o circuito durante os próximos dias, o mais natural é a Chevrolet regressar no final de Setembro, antes da apresentação oficial do novo Corvette, agendada para 26 de Outubro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Da Tesla espera-se que, assim que consiga voltar à pista, confirme os 7.23 que os jornalistas alemães da Auto Motor und Sport cronometraram em 2019, registo que confere ao modelo norte-americano uma vantagem de quase 20 segundos por volta face ao seu rival Porsche Taycan, que anunciou um tempo de 7.42.