Os comboios da Linha do Norte voltam a ter paragem nas estações do concelho de Ovar na próxima segunda-feira, anunciou esta sexta-feira a CP – Comboios de Portugal, antecipando o levantamento do cerco sanitário instalado nesse concelho devido à Covid-19.

Em causa está o fim da medida que a 18 de março suspendeu todas as partidas e chegadas nas estações e apeadeiros do concelho que, no distrito de Aveiro, se encontra em estado de calamidade pública devido à nova doença.

Antecipando o levantamento do cerco sanitário esta sexta-feira à meia-noite, fonte oficial da transportadora ferroviária informou que “a CP vai repor as paragens dos comboios nessas estações a partir do dia 20 de abril de 2019”.

A circulação retomará assim a normalidade nas estações de Esmoriz, Cortegaça, Maceda, Ovar e Válega.

Com uma área de 148 quilómetros quadrados, o município de Ovar está desde 18 de março sujeito a um cerco sanitário com controlo de entradas e saídas no território, suspensão da maior parte da atividade económica e proibição de circulação pública para outros efeitos que não o acesso a bens de primeira-necessidade, apoio médico e assistência a familiares.

Esta sexta-feira, a Câmara Municipal de Ovar registou entre os seus cerca de 55.400 habitantes 25 óbitos associados a Covid-19 e 604 casos de infeção confirmada. Às 18h30, a Direção-Geral da Saúde atribuía ao concelho apenas 498 contaminados.

O novo coronavírus responsável pela presente pandemia de Covid-19 foi detetado na China em dezembro de 2019 e já infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais quase 141.000 morreram. Ainda nesse universo de doentes, mais de 465.000 foram já dados como recuperados.

Em Portugal, onde os primeiros casos confirmados se registaram a 2 de março, o último balanço da DGS indicava 629 óbitos entre 18.841 infeções. Entre esses doentes, 1.302 estão internados em hospitais, 493 já recuperaram e os restantes convalescem em casa ou noutras instituições.

A 19 de março, o Governo decretou o estado de emergência em todo o país, o que vigorará até às 23h50 do dia 2 de maio.