O presidente do PSD, Rui Rio, avisou este sábado que se a Europa não conseguir responder “com eficácia e força” à retoma da economia depois da pandemia “estará numa encruzilhada porque vai crescer a contestação ao projeto europeu”.

Num vídeo publicado nas redes sociais do PSD, Rui Rio considerou que “celebrar o Dia da Europa no 9 de maio de 2020 tem uma importância maior do que aquilo que é a celebração tradicional” desta data, uma vez que “este ano a Europa tem um desafio enorme à sua frente” que é a ameaça comum do novo coronavírus.

“Perante aquilo que aconteceu ao mundo e em particular à Europa, a Europa está num momento decisivo. Consegue responder com eficácia e com força aquilo que é a retoma da economia europeia – e no nosso caso particular da economia portuguesa – pós-pandemia e a Europa resolve por muitos e bons anos o problema de ceticismo que existe relativamente ao projeto europeu”, defendeu.

No entanto, caso essa resposta não aconteça, Rui Rio avisou que “a Europa estará numa encruzilhada porque aí vai crescer a contestação ao projeto europeu”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Têm surgido nos últimos anos resistência ao projeto europeu com movimentos de extrema, mais de extrema-direita do que de extrema-esquerda, contestando o projeto e pondo em causa aquilo que são os valores fundamentais da construção europeia”, lembrou.

A solução encontrada, na perspetiva do líder social-democrata, não pode ser aquela que um país em particular quer, mas sim “uma solução equilibrada e consensualizada”.

“Ou há aqui uma resposta eficaz como aquela que houve através do Plano Marshall a seguir à Segunda Guerra Mundial ou se não houver essa ação eficaz vai crescer o descontentamento para com a Europa e agora de uma forma muito pesada”, advertiu.

Para Rui Rio, é bom “evocar a Europa, levantar a bandeira europeia, levantar a unidade europeia”.

Para que possamos, todos em conjunto — que é para isso que a Europa existe — ter uma resposta muito mais consolidada, muito mais firme e muito mais eficaz a este problema do que aquela que seria se cada um estivesse por si e não houvesse a União Europeia”, defendeu.

O Dia da Europa, que assinala os 70 anos da “Declaração Schuman”, é celebrado maioritariamente ‘online’, face à pandemia do novo coronavírus, em cerimónias e conferências quer ao mais alto nível quer em iniciativas nacionais e regionais.

O Dia da Europa assinala o aniversário da histórica “Declaração Schuman”, um discurso proferido em Paris, em 9 de maio de 1950, por Robert Schuman, o então ministro dos Negócios Estrangeiros francês, que expôs a sua visão de uma nova forma de cooperação política na Europa. A sua visão passava pela criação de uma instituição europeia encarregada de gerir em comum a produção do carvão e do aço. Considera-se que a UE atual teve início com a proposta de Schuman.