A Uber, que detém a plataforma de TVDE  com o mesmo nome e o serviço Uber Eats, divulgou esta quinta-feira as medidas de segurança para continuar a operar em Portugal. Além de selfies de verificação para motoristas, os utilizadores vão ter de confirmar que lavaram as mãos e vão ter de andar de máscara, no banco de trás e com janelas abertas.

As medidas nesta fase de pandemia, anunciadas em comunicado, têm como objetivo “proteger a saúde e a segurança de todos os envolvidos”, diz Manuel Pina, Diretor Geral da Uber em Portugal. Por causa disso, vai ser pedido “feedback” aos utilizadores e a empresa vai começar ações como a distribuição de cerca de 300 mil máscaras de proteção “através dos postos de abastecimento Prio e de restaurantes parceiros para motoristas e parceiros de entrega”.

O plano de segurança para todos os utilizadores, motoristas e estafetas das aplicações da Uber em Portugal, segundo o anunciado pela empresa:

  • Sistema inteligente de verificação facial: Antes de ficarem online, será solicitado aos motoristas e estafetas da Uber Eats que confirmem a utilização de máscara tirando uma selfie com a máscara.
  • Lista de confirmação online para motoristas Uber e estafetas da Uber Eats: Antes de ficarem online e aceitarem viagens, estes serão “convidados a confirmar que tomaram as precauções de segurança adicionais, como assegurar que os passageiros se sentam apenas no banco de trás, higienizar o carro e outras recomendações de higiene” ou confirmar que higienizaram a mochila de entrega e estão a usar máscara.
  • Checklist online para utilizadores de viagens Uber: a Uber afirma que “será solicitado aos utilizadores de viagens Uber que confirmem que tomaram algumas medidas importantes de segurança recomendadas pela Organização Mundial de Saúde ou pela Direção-Geral da Saúde, como usar máscara, sentarem-se apenas no banco de trás, lavar as mãos, e abrir as janelas para ventilação”.
  • Usar apenas o banco de trás: esta medida, que já era aplicada durante o estado de emergência, vai continuar em vigor. “Nenhum utilizador pode ocupar o banco dianteiro junto ao motorista e que deve ser assegurada a renovação do ar interior do veículo e a limpeza das superfícies”.
  • Restrições na lotação de veículos: A capacidade máxima das categorias UberX, UberGreen, UberComfort e UberBlack continua a ser apenas de duas pessoas por carro (em vez de quatro) e do UberXL passa a ser de três a quatro utilizadores (em vez de seis ou sete).
  • Entregas de refeições sem contacto: A Uber pede aos restaurantes para organizar a entrega de pedidos numa área dedicada e, deixa como opção aos utilizadores, utilizador, a opção de entrega “Deixar à Porta” para que o estafeta da Uber Eats receba essa informação.

Uber diz que vai continuar a manter apoios a motoristas e estafetas

Ao Observador, fonte oficial da Uber afirma que, em Portugal, “não é obrigatório [o uso de máscara] mas é fortemente recomendado e os motoristas têm a possibilidade de cancelar se o utilizador não estiver a usar máscara“. “Responsabilização mútua é a chave para um sistema eficaz”, explica a mesma fonte.

Estamos a trabalhar diariamente no sentido de reforçar as práticas de segurança e fornecer gratuitamente materiais sanitários e de proteção aos motoristas e parceiros de entrega que colaboram com a Uber”, diz Manuel Pina.

Esta é uma medidas que vai ser aplicada pela empresa em praticamente todo o mundo e tinha sido avançada no final desta quarta-feira por Dara Khosrowshahi, o presidente executivo da Uber.

A Uber divulga ainda que vai continuar a garantir “um reembolso de até 25 euros a cada parceiro de entrega [estafeta da Uber Eats] na compra de todos os produtos sanitários mediante a apresentação de um recibo”. Além disso, a empresa afirma que vai continuar a garantir “uma compensação financeira equivalente a 14 dias do seu rendimento a motoristas ou parceiros de entrega em quarentena obrigatória ou infetados pelo vírus Covid-19″,

Uber tem prejuízo de 2.946 milhões no período da pandemia

A empresa de TVDE revelou também esta quinta-feira números referentes aos últimos tempos de atividade em Portugal durante a pandemia. Ao todo, “ofereceu 17 mil viagens Uber, cinco mil refeições no Uber Eats e cinco mil taxas de entrega em pedidos Uber Eats a profissionais do Serviço Nacional de Saúde“.

Foi durante este período que a empresa divulgou novos serviços como o “Uber Drop-Off”, para motoristas e estafetas poderem fazer entregas de vários produtos que envolve uma parceria com os CTT. Além disso, passou a ser possível fazer pedidos de outros produtos além de comida de restaurantes através do Uber Eats “através de novas parcerias como a Galp e a Well’s, a Central de Cervejas e a Unilever”.