Tudo começou no ano passado, quando Alexandre Silva teve no Craveiral Farmhouse, projeto de turismo rural situado em plena costa alentejana, um pop-up do seu novo restaurante Fogo, em Lisboa. Aí surgiu a ideia de fazer algo novo que unisse a gastronomia, a agricultura e o respeito pela natureza.

Assim nasceu o Craveiral FarmTable, um restaurante a céu aberto que promete levar a horta para a mesa à boleia de uma cozinha simples e criativa, feita com ingredientes locais e sazonais. A intenção é que 70% dos ingredientes provenham da horta e do pomar do espaço e os restantes 30% venham de pequenos produtores da região de Odemira, como porco alentejano, vaca, borrego, queijos, enchidos, doces, compotas ou  pão.

“Toda a gente fala de sazonalidade e sustentabilidade, mas depois não colocam estes conceitos em prática. Os restaurantes devem preocupar-se e ser verdadeiros e é essa verdade que procuro aqui”, afirma o chef Alexandre Silva, que em 2016 recebeu um estrela Michelin.

Além de turismo rural, o Craveiral é simultaneamente um projeto agrícola com uma horta de produção biológica e um pomar de 7000 metros quadrados. Com 38 casas construídas em nove hectares, o objetivo sempre foi abastecer o restaurante do hotel.

O Craveiral Farmhouse tem duas piscinas, uma quinta, um centro de bem estar, um centro de interpretação da natureza e uma pequena loja

Em abril deste ano, começaram as plantações dos primeiros hortícolas, estando já prevista uma estufa que permita a produção durante o inverno, um jardim de plantas aromáticas e de flores comestíveis, assim como a criação de galinhas, patos, gansos e coelhos. Os responsáveis garantem cumprir alguns princípios de sustentabilidade na implementação de práticas de desperdício zero, reutilizando todo o lixo orgânico da restauração em compostagem e alimentação de animais.

Da carta do novo Craveiral FarmTable esperam-se receitas tradicionais, respeitando os ciclos de produção, com um destaque especial para a cozinha de fogo e a experimentação. “Quem estiver alojado no Craveiral Farmhouse pode também contar com receitas desenhadas por Alexandre Silva, que poderá colocar em prática nas cozinhas das respetivas casas, com os mesmos ingredientes utilizados no restaurante”, adiantam os responsáveis em comunicado.

O restaurante vai usar 70% dos seus ingredientes provenientes da horta e do pomar

O arranque está previsto para o início de junho e na manga está já a organização de um evento anual com cozinheiros portugueses e estrangeiros que tenham o conceito de horta para a mesa como prática, potenciando, assim, a partilha de ideias e experiências.