O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou esta quarta-feira o regresso dos comícios de campanha, suspensos devido à pandemia de Covid-19, e que irão decorrer nos estados da Florida, Arizona, Carolina do Norte e Oklahoma.

Segundo noticia a agência AFP, o inquilino da Casa Branca nunca escondeu a vontade em voltar a realizar comícios para a sua recandidatura à presidência dos Estados Unidos, que foram suspensos em março devido à pandemia de Covid-19. As eleições presidenciais estão marcadas para 03 de novembro.

Os responsáveis pela campanha eleitoral de Donald Trump ainda não forneceram qualquer informação sobre as regras sanitárias que irão ser impostas na organização destes eventos, com grande aglomeração de pessoas, de forma a evitar a propagação do vírus.

Em três dos quatro estados em que irão ocorrer os comícios eleitorais, Arizona, Florida e Carolina do Norte, o número de casos de infeções por covid-19 está a aumentar, segundo notícia o jornal New York Times.

“Vamos recomeçar os comícios e provavelmente o primeiro irá ocorrer em Tulsa, Oklahoma”, explicou Donald Trump. E acrescentou: “Haverá um [comício] enorme na Florida, todos eles serão enormes”.

O governante norte-americano fez o anúncio durante uma reunião com apoiantes afro-americanos que decorreu hoje à tarde e que não estava prevista na sua agenda pública, segundo noticia a agência AP.

O primeiro comício após o surto de Covid-19 nos Estados Unidos será dia 19 de junho, em Tulsa, no estado de Oklahoma, acrescentou. Donald Trump disse ainda que está a planear mais eventos nos estados da Florida, Texas e Arizona.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 412 mil mortos e infetou quase 7,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (112.402) e mais casos de infeção confirmados (mais de 1,9 milhões).

Seguem-se o Reino Unido (41.128 mortos, mais de 299 mil casos), o Brasil (38.406 mortes, quase 740 mil casos), a Itália (34.114 mortos, mais de 235 mil casos), a França (29.319 mortos, mais de 191 mil casos) e a Espanha (27.136 mortos, quase 242 mil casos).

A Rússia, que contabiliza 6.358 mortos, é o terceiro país do mundo em número de infetados, depois dos EUA e do Brasil, com mais de 493 mil.