O montante dos novos créditos ao consumo diminuiu 64% em abril, face ao mesmo mês do ano anterior, para 203,066 milhões de euros, de acordo com os dados esta segunda-feira divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

Face ao mês anterior de março, quando tinham sido contratados 551,6 milhões de euros de crédito ao consumo, o montante que os portugueses contrataram à banca e às financeiras caiu 63,2% em abril, mês de confinamento devido à pandemia de Covid-19.

O montante de crédito pessoal para a finalidade de educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos atingiu em abril 955 mil euros, sendo aquele que teve a descida mais expressiva, de 88% face a abril do ano passado, e de 83,9% face a março.

Já outros créditos pessoais sem finalidade específica, lar, consolidado e outras finalidades caiu em abril mais de 60%, face a abril de 2019, totalizando 97,92 milhões de euros.

Nos cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto a queda foi de quase 58%, para 32,970 milhões de euros.

No crédito de automóveis usados a descida foi de 68,1%, para 48 milhões de euros, e no de automóveis novos a queda foi de 74,6% para 12 milhões de euros.

Em número, os novos créditos ao consumo caíram 62,8% para 43.446 contratos em abril, com os relativos ao crédito pessoal para finalidade educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos a caírem 96,6% para um total de 75 contratos.