Além da sociedade offshore Espírito Santo (ES) Enterprises, o famoso ‘saco azul’ original do Grupo Espírito Santo, o Ministério Público (MP) descobriu na investigação ao caso Universo Espírito Santo pelo mais uma sociedade que cumpriu o mesmo objetivo da Enterprises de remunerar por ‘debaixo da mesa’ os administradores e altos funcionários do banco. A sociedade chama-se Alpha Management, representa um segundo ‘saco azul’ alegadamente gerido sob as ordens de Ricardo Salgado e irá ter um papel relevante na acusação que a equipa do procurador José Ranito se prepara para deduziraté ao dia 15 de julho contra o ex-líder do BES e vários ex-administradores e ex-altos funcionários do banco criado pela família Espírito Santo.

Mais: quer a ES Enterprises quer a Alpha Management foram essencialmente financiadas em diversas centenas de milhões de euros a partir de emissões de dívida vendidas aos balcões do BES. O que significa que aquelas duas sociedades secretas foram, na prática, financiadas pelos clientes do BES. Esse facto, que foi avançado por uma investigação do Observador em 2018, e deverá ser confirmado pela acusação do MP.

Os documentos do ‘saco azul’ do GES: 20 milhões a mais de 50 altos funcionários

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.