Os critérios usados pela União Europeia para decidir quais os países com os quais vai abrir as suas fronteiras externas a partir desta quarta-feira deixariam Portugal de fora caso não fosse um Estado-membro do bloco.

O Conselho Europeu divulgou esta terça-feira a lista final dos 15 países extra-comunitários com os quais a UE vai reabrir as fronteiras externas, mais de três meses depois da inédita decisão, tomada em março, de encerrar o espaço europeu para conter a propagação do novo coronavírus.

Tal como já havia sido noticiado por vários meios de comunicação na segunda-feira, a lista resume-se a apenas 15 países, deixando de fora praticamente todo o mundo. São eles Argélia, Austrália, Canadá, Coreia do Sul, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Tailândia, Tunísia e Uruguai.

A estes poderá juntar-se a China, confirmando-se o critério da reciprocidade — ou seja, assim que Pequim confirmar que também deixará entrar viajantes com origem na União Europeia.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.