No dia em que os bares e estabelecimentos de animação noturna reabriram no Reino Unido, o presidente da Federação de Polícia britânica chegou à conclusão de que “é evidente” que um bêbado não consegue ou pode cumprir as regras básicas de segurança do distanciamento social. John Apter, citado pelo The Guardian, diz que é claro que os foliões não vão cumprir a regra de manter um metro ou mais de distância.

Imagens de ruas apinhadas de jovens sem máscara e visivelmente alcoolizadas, muitas delas na zona de animação noturna do Soho, em Londres, estão a chocar não só o Reino Unido mas o mundo, especialmente tendo em conta que todos os especialistas e autoridades de saúde são unânimes a afirmar que a pandemia está muito longe de ter terminado — especialmente em território britânico, um dos mais afetados no mundo pelo novo coronavírus.

O mesmo Apter, que esteve em serviço nessa noite na cidade se Southampton, onde lidou com “homens nus, bêbados felizes, bêbados zangados, brigas e bêbados mais zangados”, contou: “O que ficou claro é que as pessoas bêbadas não se distanciam socialmente. Foi uma noite movimentada. Sei que outras áreas tiveram casos de policias a ser agredidos, por exemplo.”

A imprensa britânica conta que houve desacatos também no norte de Nottinghamshire, região onde quatro pessoas foram presas e vários bares decidiram fechar face ao comportamento irresponsável instigado pelo álcool.

A irresponsabilidade verificada principalmente entre os mais jovens choca de frente contra os apelos que Boris Johnson e os especialistas do governo lançaram antes da reabertura deste tipo de estabelecimentos — pediram que as pessoas seguissem as regras de forma a evitar uma segunda vaga de coronavírus em solo britânico.