O formato já tinha sido anunciado. À semelhança da Semana da Alta-costura, também o calendário dedicado à apresentação das coleções masculinas primavera-verão 2020/21 em Paris decorreu sem os habituais desfiles. No total, foram quase 70 as marcas e designers obrigados a contornar os ditames do vírus e a encontrar alternativas para mostrar as suas criações ao mundo ou simplesmente levar acabo um exercício artístico e estética onde acabaram por convocar outras expressões artísticas.

Um teste no qual a Hermès passou com distinção. No dia 5 de julho, a maison transmitiu em direto o primeiro olhar sobre a nova coleção. Em vez de uma passerelle com janela para todo o mundo, a câmara comportou-se como um olho espião dentro de um dos ambientes que mais curiosidade desperta — os bastidores de um desfile de moda. No centro da ação estiveram Véronique Nichanian, a diretora criativa da linha masculina da marca há mais de 30 anos, e Cyril Teste, a mente por trás do conceito do vídeo.

O palco escolhido foram os ateliers da Hermès, em Pantin, nos arredores de Paris. Entre aderecistas, fotógrafos e assistentes de produção, a lente do realizador e encenador francês acompanhou os manequins durante a preparação para fotografar lookbook da coleção. Uma escala de cinzentos e azuis reforçou a sobriedade natural do guarda-roupa masculino. A par com peças de alfaiataria estival, a marca explorou detalhes desportivos e entrecortou alguns dos visuais com um amarelo néon, como um piscar de olho à contemporaneidade.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.