818kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Alessandro Michele é o novo diretor criativo da casa de moda Valentino e substitui Pierpaolo Piccioli

Alessandro Michele, que esteve anos ao leme da Gucci, vai agora criar as coleções da casa Valentino. O nome surge dias depois do anúncio da saída de Pierpaolo Piccioli, ao fim de 25 anos na marca.

Alessandro Michele no retrato oficial divulgado pela maison Valentino
i

Alessandro Michele no retrato oficial divulgado pela maison Valentino

Alessandro Michele no retrato oficial divulgado pela maison Valentino

Alessandro Michele é o novo diretor criativo da casa Valentino, segundo avança o site Vogue Business e escreveu depois o próprio na sua conta de Instagram. O homem que esteve ao leme da Gucci até novembro de 2022, vai agora substituir Pierpaolo Piccioli à frente da casa fundada por Valentino Garavani. “É uma incrível honra para mim ser recebido na maison Valentino”, escreveu Michele. “Sinto uma imensa alegria e a grande responsabilidade de me juntar a uma maison de couture que tem a palavra ‘beleza’ inscrita numa história coletiva, feita de elegância distintiva, refinamento e extrema graciosidade.” A primeira coleção de Michele será a de primavera/verão 2025 para mulher, apresentada na semana de moda de Paris. A marca já tinha cancelado os próximos desfiles, de homem em junho e de Alta Costura em julho.

Em comunicado enviado às redações a casa Valentino anuncia que Alessandro Michele inicia funções na marca a partir do próximo dia 2 de abril e que a sua base de trabalho será em Roma, “o coração criativo” da empresa e “a cidade onde foi fundada em 1960”, pode ler-se no texto assinado por Rachid Mohamed Rachid, presidente da Valentino. “Esta nomeação marca o início de uma nova caminhada criada para continuar a fazer brilhar os valores únicos da marca, a sua herança e códigos de couture no mundo através da perspetiva única e enriquecedora experiência de Alessandro Michele.”

Alessandro Michele destaca “a riqueza da herança simbólica e cultural” e deixa ainda palavras de homenagem aos “pais fundadores” da marca, Valentino Garavani e Giancarlo Giammetti. “Estas referências sempre representaram uma fonte essencial de inspiração para mim e vou elogiar esta influência através da minha própria interpretação e visão criativa.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Hoje procuro palavras para nomear a alegria, para me referir a ela, para transmitir realmente o que sinto: os sorrisos que saltam do peito, a felicidade da gratidão que ilumina os olhos, aquele momento precioso em que a necessidade e a beleza se estendem e se encontram”, pode ler-se no comunicado de Alessandro Michele na sua conta de Instagram. “Que a minha vénia, de braços abertos, fale por si e saúde neste início de primavera a regeneração da vida e a promessa de um novo começo”, termina o designer.

A notícia desta quinta-feira é a confirmação de algo que já se vinha a especular há alguns dias. Pierpaolo Piccioli anunciou a sua saída da casa Valentino na passada sexta-feira, dia 22 de março, e o universo da moda foi abalado com a surpresa. Piccioli esteve na casa italiana durante 25 anos, chegou em 1999 como designer de acessórios, assim como Maria Grazia Chiuri, atualmente na liderança criativa da casa Dior desde 2016. Juntos, viriam a tornar-se uma dupla de diretores criativos da Valentino em 2008, depois da saída de Alessandra Facchinetti que, por sua vez sucedeu ao fundador, Valentino Garavani. Pierpaolo Piccioli transmitia em cada coleção uma identidade Valentino moldada segundo os seus padrões. Conseguiu não só manter a legião de fãs do “imperador da moda”, como conquistar o seu próprio espaço como ídolo nesta feroz indústria.

Não se sabe ainda o que se segue no currículo do designer, que também recorreu ao Instagram para anunciar a sua saída. “Nem todas as histórias têm um princípio e um fim, algumas vivem uma espécie de eterno presente que brilha com uma luz intensa, tão forte que não deixa sombras. Estou nesta empresa há 25 anos, e há 25 anos que existo e vivo com as pessoas que teceram os fios desta bela história que é a minha e a nossa.” Piccioli gostava de partilhar o palco de cada coleção com as pessoas que ajudavam a torná-la realidade e escolheu uma imagem com as suas costureiras e costureiros para se despedir da maison Valentino. A marca e as pessoas que consigo trabalharam ao longo de tantos anos retribuíram com tarjas de agradecimento, uma longo aplauso de grupo e um abraço de Giancarlo Giametti, co-fundador da marca. As imagens também foram partilhadas por Piccioli.

Herança e modernidade na Alta-costura de Valentino, sobre a mais famosa escadaria de Roma

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos