A Automaise, uma startup de Braga que automatiza tarefas e processos através de uma plataforma que recorre a inteligência artificial, é uma das três vencedoras da 4ª edição do concurso Prio Jump Start. Como prémio, a tecnológica bracarense, à semelhança da startup israelita Mystore-E e a polaca EcoBean, também vencedoras, recebe “um valor mínimo” de 10 mil euros em apoio da Prio, assim como um  “acompanhamento contínuo” por parte desta empresa para fazer “testes em ambiente real” do seu produto.

Cristina Correia, diretora de inovação da Prio, diz em comunicado: “O Jump Start é o reflexo do ADN inovador da Prio e da forma como nos relacionamos com o ecossistema de startups”. O concurso começou em março deste ano e a empresa de combustíveis assume que, por isso, “enfrentou as restrições impostas pela pandemia e passou do habitual formato presencial para um formato 100% remoto”. Ao longo dos últimos meses, esta competição “distribuiu-se por diversas fases, entre candidaturas, bootcamp, mentoria e apresentação final e entrou pelas casas de todos os participantes, colaboradores PRIO e parceiros externos envolvidos”.

A nossa missão é apoiá-las [as startups], ajudando-as a desenvolver soluções e produtos que tragam valor acrescentado aos seus clientes ou consumidores, não nos limitando simplesmente a entregar dinheiro.

A Automaise foi fundada em 2017 e está incubada na Startup Braga. A empresa criou uma plataforma que permite a criação rápida de assistentes digitais com recurso a inteligência artificial para automatizar tarefas a outras empresas nas áreas da banca, seguros, retalho, telecomunicações, transporte e logística. A empresa é ainda uma das responsáveis, juntamente com a Escola de Medicina da Universidade do Minho, a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e a HLTSYS, pelo “Assistente Digital Covid-19”. Este sistema, divulgado logo em abril, permite que, através do Messenger, na página do Facebook e de diversas páginas online, seja possível colocar dúvidas e fazer uma primeira triagem da população quanto

Assistente digital português esclarece dúvidas sobre a Covid-19 no Facebook ou em sites

Em agosto de 2019, após ter um investimento de meio milhão de euros, a Automaise afirmava que os assistentes digitais da startup prometem facilitar o trabalho de “gestão de contas bancárias através da automatização de várias tarefas rotineiras, simulação de pacotes integrados de serviços para seguradoras e telecomunicações, seguimento e alterações de encomendas, sistemas de ticketing, redes sociais”, entre outros.

Startup portuguesa Automaise recebe meio milhão de euros de investimento

Quanto aos outros vencedores, aMystore-E, baseada em Telavive, “oferece uma ferramenta de gestão de retalho desenvolvida para ajudar retalhistas e gestores a alcançarem o seu potencial máximo”, explica a Prio. Já a EcoBean, com sede em Varsóvia, “atua no setor da economia circular, com foco em dar uma segunda vida ao desperdício que é a borra do café, reconvertendo-o em energia verde e produtos de origem orgânica”.

A startup Parkofon, com soluções para pagamentos dentro dos carros, e a portuguesa Plicca, que criou uma solução para gestão de email, foram também destacadas no concurso. Estas duas empresas, conta a Prio, vão ter acesso a um desafio: “Fazer um voo acrobático no avião da Prio”. Depois, “o autor do melhor loop ganha um stand Alpha na Web Summit, ou 2.500 euros “para promoção da sua startup em parceria com a Prio”.

A 4ª edição do Prio Jump Start, organizada pela Prio e a imatch, teve também o apoio da Câmara Municipal de Ílhavo, da Portugal Ventures, da Inova Ria, da Microsoft for Startups e da InnoEnergy.