Estamos perante um ataque concertado da Jeep aos amantes de veículos todo-o-terreno puros e duros, tentando aliciar em simultâneo os clientes que dão preferência à potência bruta, bem como os que privilegiam a capacidade de poluir menos e deslocar-se no maior dos silêncios. E esta estratégia de perseguir “sol na eira e chuva no nabal” está bem patente nas duas mais recentes comunicações da marca norte-americana, que criou o conceito de jipe.

No prazo de apenas uma semana, a Jeep preparou os fãs do Wrangler para o lançamento, em breve, de uma versão V8 a gasolina com 450 cv, o Rubicon 392 Concept. O modelo recorre ao enorme bloco com 6,4 litros do grupo FCA, dirigido aos clientes que gostam de aliar as incursões pela natureza com emoções fortes e um roncar decidido.

392. Wrangler responde ao Ford Bronco com um ronco

Nesse mesmo período, foi igualmente tema a antevisão de uma versão híbrida plug-in (PHEV) do Wrangler, capaz de circular durante 50 km (espera-se, na versão europeia) em modo eléctrico e no maior dos silêncios. O mais recente vídeo da Jeep explora exactamente este potencial, com Wrangler a passear-se pelo campo sem interromper o descanso dos cavalos, que dormitavam pacatamente, no que pode ser visto como uma piada ao Ford Bronco, cujo símbolo é precisamente um cavalo.

Não se conhecem as especificações da versão PHEV do Wrangler, podendo conciliar um motor 2.0 Turbo associado a um motor eléctrico montado no eixo dianteiro, para lhe a assegurar a tracção às quatro rodas – e daí a denominação 4xe –, sendo que este motor seria o ideal para o mercado europeu. Mas o principal destino do modelo continuará a ser o norte-americano e aí exige-se mais potência, pelo que a preferência deverá recair no 3.6 V6 a gasolina (que já equipa monovolumes da Chrysler), associado a uma unidade eléctrica.